Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Opinião | Fernando Calmon |

Ver todas as opiniões
Fernando Calmon

13/03/2018

Diversificado Salão de Genebra

Exibição anual está recheada por mais de 20 lançamentos mundiais de peso

Tempestades fortes de neve, na semana anterior à abertura, parecem ter proporcionado um alento ao Salão de Genebra, que se encerra no domingo. Essa exibição anual vem sofrendo forte retração de rentabilidade, a exemplo de outros salões, mas mantém seu charme de exposição enxuta e atraente. Esta edição está bem recheada por mais de 20 lançamentos mundiais de peso.

Frenesi elétrico continua como elemento importante em vários estandes, mas começa a perder algum fôlego. Fabricantes – BMW, Nissan, Renault e Tesla – que se anteciparam nessa corrida tecnológica alcançaram, até agora, resultado financeiro bem aquém do imaginado. Jaguar, por exemplo, mostrou seu primeiro elétrico, o SUV médio I-Pace baseado no F-Pace, mas tratou de terceirizar a produção para a austríaca Magna Steyr, sem prever volumes. Nissan estreou o crossover elétrico IMx Kuro.

Volkswagen completou sua família conceitual I.D. de modelos elétricos com o Vizzion, previsto para entrar em linha em 2022. Será o modelo topo de gama e graças à arquitetura enxuta típica pode oferecer relação espaço interno/externo bem superior à convencional. Também anunciou início do serviço próprio de transporte compartilhado chamado Moia. Renault EZ-GO, micro-ônibus autônomo conceitual, igualmente entra nessa onda de mobilidade alternativa.

Ainda na vertente elétrica, Porsche tem o Mission E Cross Turismo de linhas inspiradas no sedã-cupê Panamera e tração 4x4. Espera-se que versão definitiva não se renda à “síndrome dos penduricalhos”, pois o exibido em Genebra recebeu apliques nos arcos de rodas.

Entre os carros convencionais, um dos destaques é a nova geração do Audi A6, de linhas equilibradas e atraentes. Mercedes-Benz não ficou para trás. Um dos modelos que mais chamam a atenção é o sedã-cupê de quatro portas AMG GT-R. Há, também, nova geração do Classe A e revitalização do Classe C a ser produzido em Iracemápolis (SP).

A BMW reformulou o X4, suavizando as linhas traseiras volumosas, com montagem prevista em Araquari (SC); apresentou, em estágio de pré-produção, o elegante M8 Grand Coupé.

Entre os carros que interessam ao mercado brasileiro de grande volume, destaque para o C4 Cactus, segunda geração. A Citroën confirmou produção em Porto Real (RJ). Lançamento está previsto para o terceiro trimestre e terá vidros de descer nas portas traseiras em vez do sistema basculante original. Ford Ka apareceu em espaço meio escondido no estande com retoques visuais também previstos para o modelo brasileiro, inclusive no interior.

Skoda Vision, embora bem disfarçado principalmente na parte interna, antecipa o VW T-Cross a ser produzido em São José dos Pinhais (PR) a partir de janeiro do próximo ano. Ambos usam arquitetura MQB e mesma distância entre eixos do Virtus.

Outros modelos novos em Genebra que serão importados: quarta geração do Hyundai Santa Fe ganhou linhas mais rebuscadas, Peugeot 508 demonstra enriquecimento estilístico da marca francesa e Lexus UX, boa evolução do CT200 Hybrid.

O Salão reserva um bom espaço para supercarros esporte. Este ano, a desconhecida Corbellati promete lançar um cupê de 1.800 cv que seria o de maior potência do mercado, sem revelar pormenores. Se vai vingar é outra história.

RODA VIVA


VELOCIDADE de mudanças na mobilidade faz surgir previsões surpreendentes. Hoje, Apple é a empresa de maior valor de mercado no mundo, cerca de US$ 900 bilhões. Porém, diversificação dos grupos automobilísticos e crescimento na área de serviços podem mudar isso dentro de 10 a 15 anos. Estimativa de Herbert Diess, da VW, em entrevista à Automotive News.

RENAULT inaugurou ala na fábrica no Paraná: injeção de alumínio para componentes do motor 1.6 L, que representa 60% das unidades produzidas. Encerra ciclo de R$ 3 bilhões. Novos aportes só serão definidos após conhecimento do programa federal Rota 2030. “Sem visão de futuro, não dá para saber onde e em que investir”, posição da empresa.

NOVO SUV da Jaguar, E-Pace estreia aqui como o modelo de entrada da marca. Motores 2.0 turbo de 250 cv e 300 cv, da recente série Ingenium de projeto próprio (antes eram da Ford). Seu comportamento, na avaliação de pista, é de grande agilidade pois tem apenas 1,65 m de altura e posição ao volante próxima à de um automóvel. Preços de R$ 222.300 a 278.080.

ÂNIMO da Nissan para importar segunda geração do elétrico Leaf em 2019 – bem melhor que a primeira e com o dobro de autonomia (300 km) – veio de pesquisa encomendada por ela mesma. Até 80% dos compradores do nosso continente aceitariam a alternativa. Problema, como sempre, é preço em patamar desanimador.

PASSAT, agora, é importado em versão única, com um só opcional: teto solar. Preço de 164.620 e recheado de equipamentos (de dois bancos elétricos a quadro de instrumentos digital reconfigurável). Amplo espaço interno, ótimo porta-malas e motor 2-litros turbo de 220 cv de ótima pegada. Compete em segmento de grande oferta e compradores exigentes.

____________________________________________________

fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência