Automotive Business
  
ABLive

Opinião | Francisco Sarkis |

Ver todas as opiniões
Francisco Sarkis

01/06/2020

Mentalidade de startup ajuda a melhorar sintomas da crise

A pandemia acelerou a transformação para o digital e a vontade de inovar tem de ser maior que no passado

Até o digital, as organizações repetiam mais do que mudavam. Fazia sentido. Hoje não é mais possível. Tudo passou a ser baseado em software, celular, plataformas, startups, que mudam regularmente e irão exigir renovação constantemente.

Produtos e serviços eram feitos para durar e se repetir no tempo. Agora, são feitos para se renovar. A pandemia de Covid-19 só acelerou a transformação para o digital da nossa sociedade. Assim, a motivação e a vontade de mudar, de criar e de inovar de todos os profissionais têm de ser muito maiores que no passado. E este é o grande desafio de hoje em dia: usufruir todo o potencial que o digital possibilitará aos profissionais e aos negócios.

Imagine quantos gerentes de equipe, qualidade e treinamento seriam necessários para cuidar de todos os entregadores do Rappi, Uber e Ifood no Brasil? Com a pandemia aumenta a demanda por soluções cada vez mais inovadoras.

É a forma de administrar pelo digital que possibilita um novo caminho para permitir que muito mais clientes participem das decisões e que as decisões sejam muito mais rápidas e baratas por parte das empresas. O barateamento vem, por exemplo, do autogerenciamento nas plataformas: os 4,5 milhões de entregadores destas três empresas no Brasil não têm chefe. A qualidade exponencial só foi possível com o surgimento da linguagem digital (cliques, likes, estrelas etc).

Nesta era digital, o serviço se torna relevante conforme sua reputação nas plataformas. A empresas tradicionais, por outro lado, ainda têm os seus processos de atendimento formatados para o modelo antigo. Centralizadas e caras, as empresas mantêm áreas que analisam a qualidade, interpretam os dados e decidem o que é bom ou não para o cliente.

Com tanta exponencialidade, é impossível manter a qualidade. Não é possível que todas as interações sejam intermediadas por um gestor, gerente ou atendente de call center para que se possa receber as mensagens, fazer o entendimento delas e tomar uma decisão.

É uma tremenda mudança de mentalidade. Infelizmente, a discussão em torno da transformação (para o) digital, na maioria das empresas, ainda fica girando em torno de tecnologia. Pouco se fala da maneira totalmente nova de administrar. Isso ainda é assim porque estamos formatados no comando e no controle que exige o "carimbo" da autoridade de plantão: o coordenador, o gerente, o responsável, enfim, o chefe.

O digital permite que por novos canais e novas linguagens o próprio cliente possa decidir de forma direta, sem intermediadores, reduzindo tremendamente o custo e aumentando radicalmente a qualidade. O segredo está justamente na possibilidade de o cliente se sentir mais respeitado. É impossível conversar com os clientes digitais no modelo tradicional.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência