Automotive Business
  
ABLive

Opinião | OUTROS |

Ver todas as opiniões
OUTROS

24/08/2010

Treinamento on-line no mercado de transportes traz resultado? - por *Paulo Santarlacci

Há alguns anos, pensar em treinamento on-line não fazia parte da realidade da maior parte das empresas do mercado.

Há alguns anos, pensar em treinamento on-line não fazia parte da realidade da maior parte das empresas do mercado. Hoje muitos segmentos já aderiram à tecnologia para treinar e capacitar seus colaboradores. Os motivos são diversos: desde a redução de custos e tempo de deslocamento até a inclusão digital.

No segmento de transporte e logística, isso ainda é novidade. Porém, temos que concordar que deslocar mil pessoas espalhadas por todo o Brasil para um dia de treinamento não é a mais fácil das tarefas, mesmo para um departamento de RH plenamente eficiente. Além dos altos custos de transporte, há a perda de dias de trabalho, já que o colaborador deixará seu posto com antecedência para deslocar-se até o local onde será realizado o treinamento, muitas vezes em outro estado. Esta ausência prolongada pode resultar no declínio dos processos de produção e na sobrecarga de trabalho dos que ficarem na empresa.

E se houvesse uma forma de treinar simultaneamente toda a grade de funcionários, em todos os estados, de uma forma rápida, lúdica, interessante e que ainda oferecesse uma avaliação do que foi aprendido? Nesta problemática é que entra o treinamento a distância, tão ou até mais vantajoso que os cursos presenciais.

A forma de envolvimento deste tipo de curso é tão eficiente que muitas vezes nem parece um treinamento. Este é o grande desafio do e-learning, uma vez que precisa prender a atenção do aluno durante todo o período do curso. Para tanto, são usadas ilustrações, interação com o treinando, enquetes, vídeos, jogos, etc. O conteúdo dinâmico ajuda – e muito – na absorção das informações e é o grande diferencial nos programas de capacitação a distância.

Porém, é importante realizar um estudo de caso minucioso dentro da empresa antes de implementar estas ferramentas; checar se há estrutura tecnológica para o treinamento on-line; quais as reais necessidades da companhia; qual o público para cada curso; etc.

Além de capacitar e atualizar os colaboradores, oferecendo a eles treinamentos de alta qualidade e crescimento profissional, os cursos on-line também são formas de oferecer inclusão digital a alguns funcionários, já que nem todos, principalmente no setor logístico, têm acesso a computadores e, a partir daí, descobrem um novo mundo a ser explorado.

A abrangência dos cursos também é um fator que chama a atenção no formato a distância. Isso porque é possível treinar as pessoas de todas as áreas da empresa ao mesmo tempo, sem tirar nenhum colaborador do horário de trabalho por muito tempo e, principalmente, garantindo a unicidade do conteúdo. Geralmente, os cursos são disponibilizados em módulos periódicos, oferecendo flexibilidade de tempo para quem vai realizá-los – e isso pode ser feito da própria estação de trabalho ou computadores disponibilizados pela empresa, especialmente para o treinamento. Ou, até mesmo, pode ser feito fora do ambiente de trabalho, em local e horário escolhidos pelo aluno.

Sozinho ou aliado a um curso presencial, o treinamento a distância traz, comprovadamente, diversos benefícios tanto para o segmento de transportes como para o mercado no geral. Esta tendência tem crescido nos últimos anos e conquistado segmentos nunca antes experimentados. Prova disso são os cases de sucesso que já podem ser vistos, também, no setor de transportes e logística. Num futuro próximo, dizem alguns especialistas, os programas de ensino e treinamento corporativos devem migrar, também, para o celular.

*Paulo Santarlacci é diretor das áreas de Recursos Humanos e Qualidade da Jamef Encomendas Urgentes.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

| 16/07/2010

O método

Na década de 1950 Joseph Wolpe, psiquiatra sul-africano, desenvolveu um método bem sucedido para tratamento de fobias ao combinar técnicas de relaxamento com situações imaginárias de medo experimentadas pelos pacientes. Por exemplo: se o paciente tinha medo de avião, Wolpe iniciava um trabalho de relaxamento profundo. Relaxado, o paciente era convidado a imaginar-se num aeroporto, olhando aviões.

Suportando a idéia, o paciente ia para a fase seguinte, imaginando-se andando em direção ao avião. Depois vendo uma escada em sua frente. Em seguida, imaginava-se subindo a escada. Depois olhando dentro do avião. Em seguida entrando e assim sucessivamente, até chegar à situação imaginária de pânico em que o avião enfrentava turbulências. Segundo o doutor Wolpe, o relaxamento e a tensão se anulavam, acabando com a fobia. O método recebeu o nome de "inibição recíproca" e também "dessensibilização sistemática."

| 06/07/2010

Logística Lean para ‘driblar' restrições da infraestrutura - Por José Roberto Ferro*

O crescimento econômico acelerado dos últimos meses vem expondo cada vez mais as carências crônicas da infraestrutura nacional. Por exemplo, os problemas de logística, gerados pelas debilidades das rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, malhas viárias urbanas etc. e que causam congestionamentos em cidades, estradas, portos e aeroportos. Há também uma burocracia excessiva com a exigência de documentações desnecessárias. E nossos fretes para exportação e importação são muito mais caros que os padrões internacionais.

Essas ineficiências causam altos custos, além de baixa produtividade e perdas de competitividade para a sociedade e para as empresas. E podem dificultar a continuidade das altas taxas de crescimento.

| 18/06/2010

Fábrica de líderes

Em minhas andanças pelos EUA conheci um conceito interessante: a "fábrica de líderes". Meu interlocutor contou que algumas organizações investigavam junto às escolas, clubes e outras entidades, os jovens com potencial para serem líderes. Identificados, eles eram convidados a participar de um processo educacional diferenciado, uma espécie de "fábrica de líderes", de onde sairiam os homens e mulheres que dirigiriam as grandes organizações dos EUA. Achei o máximo.

Talvez haja alguma iniciativa parecida no Brasil, mas não consegui lembrar.

| 14/06/2010

A Escolha de Sofia - por Tom Coelho*

“Você faz suas escolhas
e suas escolhas fazem você.”
(Steve Beckman)



No mundo corporativo de hoje os profissionais são constantemente colocados à prova mediante dilemas que lhes são apresentados. Por exemplo, o que fazer quando a empresa exige tanto do executivo que ele tem que escolher entre a vida pessoal e a profissional?