ANÁLISE

Mercado

Utilitários esportivos aposentam antigas peruas


Análise mostra o avanço da participação dos crossovers


Nos últimos quatro anos podemos notar estabilização das vendas de hatchbacks, com participação próxima de 50%. Já os sedãs representam em torno de 24% dos emplacamentos. No segmento dos compactos, a maioria das montadoras oferece o mesmo modelo nas duas configurações. Essa tendência permanece nos últimos lançamentos, como o Chevrolet Cruze, Toyota Etios, Hyundai HB, Chevrolet Ônix, Ford New Fiesta , que será nacional a partir do próximo ano.

O gráfico abaixo mostra que as versões têm presença estável nas vendas de veículos leves no Brasil nos últimos anos:

veículos

Na parte inferior do gráfico, no entanto, é possível notar três segmentos de veículos que não mantêm a mesma estabilidade na preferência do consumidor nos últimos anos.

Para evidenciar esta tendência, o gráfico abaixo mostra a evolução dos segmentos SUV (utilitários esportivos e crossovers), MPV (minivan) e SW (peruas).

veículos

Os modelos SW (peruas), que representava quase 4% das vendas em 2008, perderam espaço e ficaram com fatia de 1,6% do mercado em julho passado. Entre os motivos para a queda está o fim da produção da Toyota Fielder (2008) e da Renault Grand Tour (2012). Há ainda rumores de interrupção da montagem da Volkswagen Parati.

Os consumidores desse segmento têm migrado para as MPVs (minivan) e mais ainda para os SUVs (utilitários esportivos e crossovers). A Fiat é uma das poucas montadoras a apostar nas peruas. A empresa atua no segmento com as versões Weekend e Adventure do Palio. Os modelos passaram por pequenas atualizações, mas não receberam investimentos tão expressivos quanto o novo Palio e o Grand Siena, que ganharam novas plataformas.

Entre as minivans, a queda na participação foi menor, de 5% em 2008 para 4,1% no mês passado. Enquanto alguns modelos saem de linha, como Renault Scenic e Citroën Xsara Picasso, outros entram na disputa pelo consumidor do segmento, como Nissan Livina (2009) e C3 Picasso (2011). Agora, com o lançamento da minivan Spin, a Chevrolet aposenta dois modelos de uma só vez: a Meriva e a Zafira.

Os segmentos de utilitários e crossovers são os que mais se destacaram no Brasil nos últimos anos, com rápida expansão da oferta de produtos. Entre os exemplos estão Chevrolet Captiva (2008), Volkswagen Tiguan (2009), Suzuki Jimny (2009), Chery Tiggo (2010), Hyundai ix35 (2010), Mitsubishi ASX (2010), BMW X1 (2010) e Renault Duster (2011). Sem contar os veículos que estão há mais tempo no mercado como Ford EcoSport, Honda CR-V, Mitsubishi Pajero, Hyundai Tucson entre outros. Com mais reestilizações e lançamentos aguardados para os próximos meses, o segmento comprova que abocanhou de vez a participação das peruas e até das minivans.


Comentários: 2
 

Maurício Bailão
19/08/2012 | 10h36
Realmente muito interessante esta análise desse comportamento do mercado brasileiro, justamente na semana passada estive em uma reunião na Suécia com uma grande fabricante de automóveis e discutimos porque determinados modelos, especialmente os "SW" não tinham uma grande penetração em nosso mercado quando na europa tem um grande desempenho independente da marca. Parabéns. Maurício Bailão

Jairo Gama
23/08/2012 | 12h04
É uma pena a falta de opções das SW, e que está cada vez menor. Sou admirador das SW, principalmente pelo design e espaço para bagagem. As SUV's tem um preço muito superior e as minivans tem pouco espaço para bagagem, ambas com cuidados adicionais de dirigibilidade devido ao mais alto centro de gravidade.

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: