Automotive Business
  
ABLive

Opinião | |

Ver todas as opiniões

20/09/2012

Chrysler confirma Dart e Alfa, Pernambuco, 2014

Enfim, acabaram as especulações e Dodge Dart, Alfa Romeo e possivelmente uma variação de Fiat serão construídos na fábrica em implantação pela Fiat em Goiana, Pe.

Maior volume será de novo carro pequeno, possivelmente o mais barato do País, a substituir o Uno bom e velho de guerra. Informação oficial, dada por Sérgio Ferreira, diretor geral do Chrysler Group Brazil, em reunião com a inconciliada e insatisfeita rede de revendedores, para animá-la, desgostosa com os saltos nos preço dos Dodge, e a queda nas vendas.

Nada a ver
Se você associa o nome àquele automóvel com 5m de comprimento, 1.400 kg e motor V8, 5.200 cm3 de cilindrada, esqueça. Dele, apenas o nome, indicando o produto mais barato da linha Chrysler.

Construtivamente será muito melhor, e do Dart as boas lembranças para os mercados dos EUA, México, Venezuela e Brasil. Agora, menor, construído sobre a plataforma boa, resistente, agradável de uso, ex-Marea sedã e SW, base dos novos produtos para as marcas Dodge, Alfa e, possivelmente, Fiat. Motorização 1.4 Turbo, variações de potência de acordo com a decoração e propósitos de cada marca, entre 150 a 200 cv, transmissão mecânica 6 velocidades ou automática com duas embreagens, projetos da FPT, empresa Fiat.

Tudo a ver
A razão de produtos de marcas diferentes, porém base comum – e antiga, e por isto, com baixos investimentos para transformações rápidas – está no fato de a Fiat ter salvo e assumido a marca Chrysler, comprometendo-se a lançar produtos com superior rendimento energético. Para cumprir, terá novas famílias, mesclando partes e competências entre as marcas ligadas aos grupos Fiat e Chrysler. O primeiro, já apresentado, será o Dart. Alfa, segundo, novas linhas montadas sobre a plataforma comum. Garante-se, chamar-se-á Giulietta, e marcará sua volta ao mercado norte-americano. Quanto ao Fiat Viaggio, apresentado em salão chinês, é variável e dúvida para existir no Brasil, exigindo a Fiat opte entre a novidade e o bem acertado Linea.

Os Alfa no Brasil serão distribuídos pela rede Chrysler, mais identificada com clientes para produtos de preço superior aos Fiat. Vender carros de preço elevado, como eram os Alfa importados e é o Freemont atualmente, sob o mesmo teto que Uno, Novo Uno, Palio... não dá os resultados esperados.

Peugeot fará o 2008, pequeno utilitário esportivo no Brasil
Será o 2008, desenvolvido sobre o Concept apresentado no Salão de Pequim, abril, previsto pela Coluna. Mesma plataforma do novo Citroën C3 e morfologia de utilitário esportivo, para concorrer com o Ford EcoSport em dimensões e com o Renault Duster em preços.

Produto de designers da Europa, China e América Latina, foca a fórmula mágica do projeto Amazon, o conhecido EcoSport, carro para aventuras urbanas. Ou seja, para dar conforto, ar de superioridade, resistência no enfrentar as agruras das ruas nos países em desenvolvimento.

Será produto mundial, iniciando na França; China; e 2014 Brasil.

Nos outros países a motorização é 1.2 litro, 12 válvulas, turbo, de três cilindros, 100 cv. Aqui, a holding PSA, para otimizar lucros, freou investimentos, retocando os feitos localmente, os 1.450 e 1.600 cm3. Opção 1600 Turbo – importado e hoje no 3008 e 408 - e suas variáveis.

A linha de produtos no Brasil, segundo a Peugeot, manterá o 207, o 208 ao início do ano, o 2008, e posteriores versões do 208, como sedã, SW e picape.


O Peugeot 2008. Aqui em final de 2013

Roda-a-Roda
Caminho – A Mercedes correu e apresentará sua nova geração Classe B nos primeiros dias de outubro. Em março, o novo Classe A, recém lançado, ainda sem vender, mas ganhador de prêmio de design. Os novos produtos são a segunda etapa do desafio da marca que há cinco anos iniciou direcionar seus produtos para menores faixas etárias da clientela, buscando mudar a imagem de carro-de-tio.
Foco – No processo de ampliar vendas, manter e conquistar clientes, a empresa definiu com seus revendedores no Brasil a instalação de espaço próprio para vender as elaboradas versões AMG – será o Corner AMG.
Plus – São versões elaboradas pela empresa do mesmo nome, do grupo Daimler, otimizando rendimento, e para responder com segurança e durabilidade.
Especial – O processo permite individualização dentro do coletivo como, por exemplo, encomendar Classe C 55 AMG, carro pequeno com motor V8 de 5.700 cm3, circa 500 cv, sedã que humilha esportivos. E pedir cor de seu agrado, seja qual for. Revestimentos idem, desde que existam.
Expansão – A Porsche terá, finalmente, representante em Brasília, cidade com sensível frota da marca, incluindo o raro e quase exclusivo GT2 RS. Ficará no Free Park, shopping de móveis em mudança de foco, à beira da ligação Norte-Sul, no SOF. Do grupo Eurocar, do importador Marcelo Visconti.
Mais uma – Land Rover e Jaguar aguardam a tabela do governo federal compatibilizando investimentos, nacionalização e redução no valor do IPI e seu adicional recém imposto. Com a regra podem implantar fábrica para o Freelander
Mercado – Afim de carro novo? Pesquise, pois alguns terão preços menores para limpar estoques do ano/modelo 2012. Atuais Nissan Sentra e o Ford Fusion são unidades de modelos descontinuados.
Idem - A CAOA, por exemplo, se esforça para vender unidades do Tucson, do longínquo 2011. A JAC Motors, para motivar vendas, anuncia série 2013 com entrada em janeiro de 2013. Mas são produção e ano-modelo 2012.
Divisor – A Renault saúda o início das vendas do novo EcoSport com o Duster série Tech Road, maquiada e com maior conteúdo de interatividade, o sistema Media Nav incorporado ao painel, a partir da versão Dynamique.
Obstáculo – Preço menor que os do Eco, quer utilizar aparência robusta, maior espaço e preços para enfrentar a novidade. Versão 1.6 16V a R$ 54.800; 2.0 16v manual R$ 58.450; automática R$ 3.700. No Duster 4x4 Media Nav a R$ 500.
Justiça – Consumidor argentino comprou Honda Fit brasileiro, lá vendido por acordo no Mercosul, como capaz de fazer 19 km/litro de gasolina. Sem atingir tal rendimento, foi à Justiça e a Honda foi condenada a devolver em dinheiro, mais juros e despesas, a diferença em pesos entre a promessa e a realidade.
... 2 – Os legisladores podem ser omissos, insensíveis, preguiçosos, mas os costumes acabam provocando a ação da Justiça. Motorista condenado a pagar pensão por culpa na morte de motoqueiro, quis livrar-se alegando seu único bem era residência e, por isto, impenhorável.
Aprendeu ? - Como havido em casamento por comunhão de bens, o Superior Tribunal de Justiça, o STJ, agiu salomonicamente e mandou penhorar a metade do condenado, para garantir o pagamento da indenização.
Caminho – Aos poucos se fecha o cerco contra os maus e impunes motoristas.
Bentomóvel– Nada de Mercedes, Audi ou BMW. O Papa Bento XVI é verde, cool, e vai de Renault Kangoo Maxi Z.E. – elétrico, autonomia de 170 km. Carro de produção, esforço da Renault em ser líder em elétricos, por conta de sua fórmula de vender o carro e alugar baterias.
Fiat Goiana – Demorou mas a Fiat definiu produtos, desenhos iniciais e instala canteiro de obras para sua fábrica em Goiana, Pe. Área enorme, 14 mil m2 – se quadrada, 3,5 km de frente por 3,5 km de profundidade – dali pretende retirar anualmente 250 mil unidades de Fiat, Dodge e Alfa, dar emprego a 4.500 pessoas.
Igual, diferente – Quer bisar a mineirização dos fornecedores, sediá-los em seu terreno e, superando a matriz em Betim, MG, terá pista de provas.
Surpresa – Ford surpresa com pré-venda de 200 Off Road T4 Troller. Entende, em razão da troca de motor e novos detalhes. Coisas menores. Razão maior é a distância aplicada pelo governo ao preço dos importados. Preço R$ 92.490.
Leitor – Sobre a Coluna passada, pela qual a matriz VW trará ao Salão do Automóvel 150 jornalistas europeus, leitor Eduardo T Küll, de Ribeirão Preto, comenta:
“Gostaria de acreditar que trazer este pessoal da Alemanha fosse significar alguma coisa DE FATO, tipo anunciar investimentos SÉRIOS E DE MONTA no Brasil, inclusive para o Golf VII, p.e., mas não creio. É bom lembrar que a última vez que um figurão da VW veio ao Brasil deu merd*, com o cara sendo demitido e processado por gastar uma nota preta com garotas de programa, aquelas, as bem caras, e farras homéricas. Como disse, os caras devem estar vindo para ver como se arranca dinheiro de trouxa, com carros velhos, sem tecnologia e ainda gerar lucros constantes e crescentes nos últimos três anos, a ponto de estarmos emparelhados ou, no máximo, no segundo lugar de onde vem o maior lucro, à frente até mesmo da China e ajudando as sustentar as operações dos EUA e México, que dão prejuízo faz tempo, mas ninguém fala em fechar, como fizeram aqui...”
Muda – Cessão de tecnologia NuVinci Fallbrook à Allison Transmission e Dana Holding Corp projeta-se, o mundo das transmissões mudará totalmente a médio prazo em automóveis, veículos de carga e trabalho. O invento aprimora e simplifica a transmissão continuamente variável.
Antigos – Apoiando o” I Encontro de Mercedes-Benz Antigos do Veteran Car Clube/DF”, a Brasília Motors, revenda da marca, fará a parte cultural. Pediu ao artista Paulino Aversa pintar modelo 250, de 1969, com inspiração em Brasília.


Revendedor leva arte aos automóveis antigos

Gente – Thomas Schmall, 44, administrador, promovido. OOOO Presidente da VW do Brasil, em trabalho de chinês mudou o conceito da Volkswagen sobre a operação regional, e é novo condutor de negócios da marca no Mercosul. OOOO Márcia Ribeiro, arquiteta, francófila, novo foco. OOOO Diretora de Relações Governamentais da Nissan, para RJ. OOOO No Estado a marca implanta fábrica para fazer 200 mil unidades ano do Nissan March e de seu equivalente Renault. OOOOCom governo federal, Antônio Calcagnoto fala por Renault e Nissan. OOOO

Hora difícil, a troca do presidente da Ford
Assunto com relevo mundial, a alta diretoria da Ford Motor Company deve indicar Mark Fields sucessor do atual presidente Alan Mulally. Fields, 51, tem larga e bem sucedida experiência na empresa nos EUA e Europa, sendo visto pelo colegiado como preparado para a missão – apesar de ser homem da indústria automobilística e da marca.

A indicação talvez seja, no momento, a sagração mais crítica na indústria automobilística mundial, pois não permite erros. Para relembrar história recente, no país líder da produção e vendas de veículos, a Ford pressentiu a crise no mercado, e teve a coragem de entender que a solução estaria em alguém fora da indústria automobilística. Abriu mão dos talentos internos, Bill Ford, o herdeiro condutor se afastou para o Conselho, e buscou um novo presidente, não automobilista. Encontrou o CEO da Boeing e o contratou.

Sob seu comando a empresa aprovou planos corajosos como se endividar em bilhões de US$, usou como lastro o patrimônio da família Ford, maior acionista em grupo, mudou produtos, a linha de motores adotando os turbocompressores. Com os atos de coragem saiu-se bem, sobreviveu, dá lucro. Das outras, GM se apequenou, Chrysler, para não acabar, agora é Fiat.

Autêntica, familiar, com sobrenome de responsáveis, sobrou a Ford, ainda o símbolo do empreendedorismo norte-americano.

A diretoria quer solução contemporizadora, que Mulally seja um acompanhador, um conselheiro sábio à disposição do substituto, e talvez seja esta a fórmula intermediária que a família, colaboradores, mercado, busquem. Que a visão e o talento provados de Mulally auxiliem a executividade de Fields.


Alan Mulally


Mark Fields

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência