ANÁLISE

RH E VIDA CORPORATIVA

Racional ou Emocional? Melhor os dois


A distinção entre o pessoal e o profissional é pouco relevante. O foco está no indivíduo.


Sou descendente de alemães, húngaros, portugueses e índios (bugres, como eram chamados na região do Vale dos Sinos e do Caí, no Rio Grande do Sul). Denomino-me Vira Lata Brasileiro, um DNA de diversas vertentes.

O lado disciplinar da minha criação foi mais germânico. Desde cedo descobri minha inclinação para as ciências exatas. Minha formação de engenharia ajudou a consolidar um modo lógico de pensar e agir, com base em fatos, certezas, e decisões tomadas após análise cuidadosa dos dados. Numa época em que a tecnologia máxima era a televisão, li todos os livros de Agatha Christie, de Arthur Doyle e muitos outros. Sim, existia fantasia! Sim, vez ou outra me deixava levar pelas emoções. Mas a realidade tinha um peso maior em tudo que fazia.

Durante minha formação profissional valorizei muito os aspectos práticos. Já formado e trabalhando, a análise lógica me ajudou a tomar decisões assertivas rapidamente. Bastava informar-me, estudar, conhecer os detalhes funcionais e pronto: mais uma área dominada.

Com o passar do tempo, meu “sistema operacional interno”, aquele que nasce conosco, começou a disparar ordens que não interpretava corretamente. O modo lógico prevalecia. Claro que as emoções faziam parte da minha vida. Mas confesso que não lidava bem com elas. E mais: sentia um orgulho intrínseco nisso. Era como se fosse mais forte, mais resistente. Por isso corri mais riscos, na ilusão de que estava blindado.

Não posso reclamar. Conquistei a maioria de meus objetivos, cheguei onde queria. Quase sempre superei os desafios que a carreira me impôs. Mas o tal “sistema operacional interno” seguiu seu curso, lançando questionamentos, aumentando as sensações de inquietude que se juntavam ao meu dia-a-dia. Minha mãe definiu esse fenômeno assim: “você está envelhecendo meu filho!”

  Quando decidi reconhecer a importância do lado emocional na minha vida profissional, um fascinante e desconhecido mundo se abriu diante dos meus olhos. Através do exercício da escrita, da fotografia, da meditação, somei inúmeras ferramentas ao meu portfólio. Na verdade hoje a distinção entre o pessoal e o profissional é pouco relevante. Em foco está o indivíduo, sua saúde, sentimentos, saber, o legado, como contribuir, como se divertir.

Meus clientes externam hoje uma preocupação maior com essa simbiose. Querem que o ambiente corporativo seja mais propício à junção do pessoal com o profissional. As mulheres estão na vanguarda, lidam melhor com isso. Os homens começam a perceber que, sem autoconhecimento e entendimento do impacto das emoções em suas vidas, ficam mancos, incompletos.

Não me iludo quanto à necessidade de produzir resultados significativos. O lucro é o motor dos negócios. Ele será consequência de uma estratégia de recursos humanos que sim o promova, mas em perfeita sintonia com os valores virtuosos daqueles que o produzem. Seres humanos exercendo seu talento com a certeza que vale a pena estar ali, fazendo a diferença, aprendendo e ampliando sua consciência sobre a vida.


Comentários: 3
 

Jean Souza
15/10/2012 | 10h20
A palavra do momento ainda continua sendo "equilíbrio"... Parabéns pelo artigo e pela história de vida. Abraços e boa semana, Jean

charles
16/10/2012 | 09h53
interssante

Jefferson Avelar
16/10/2012 | 19h02
Gostei de seu artigo. Me diga o que conhece sobre a Dodge Ram, agora só RAM 2012?

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*: