ANÁLISE

Indústria

Vacas leiteiras da indústria automotiva brasileira


Carcon Automotive analisa modelos antigos ainda em produção, as chamadas “cash cows”.


Apesar dos frequentes lançamentos da indústria automotiva brasileira, muitos dos nossos modelos mais antigos de automóveis e comerciais leves sobrevivem em perfeita harmonia com os novos. Podemos chamá-los de vacas leiteiras, numa analogia ao termo inglês “cash cows” usado na matriz BCG (Boston Consulting Group) de posicionamento estratégico, onde este tipo de negócio exige baixos investimentos para uma boa participação de mercado. Portanto, um bom gerador de caixa para as empresas.

Como exemplo, podemos destacar os seguintes modelos:

Fiat Uno Mille
O Mille foi primeiramente lançado aqui em 1984 e apesar de frequentes atualizações não sofreu nenhuma mudança radical. Mesmo com o lançamento do Novo Uno (projeto 327) em 2010, a produção do Mille na fábrica de Betim, permanece em março deste ano no ótimo ritmo de 400 unidades por dia.

Fiat Palio RST2
O Palio foi lançado aqui em 1996 e sofreu uma segunda reestilização, chamada RST2, em 2003, e uma terceira (RST3) em 2004. Ambas as versões permanecem em produção -- a RST2 tem uma produção diária de 240 unidades, enquanto que a mais nova, RST3, tem é montada à base de 110 unidades por dia.

Ford Courier
O projeto da picape Courier, lançado em 1997, foi derivado do Fiesta antigo que deixou de ser produzido em São Bernardo do Campo em 2002. Apesar do Fiesta atual, produzido em Camaçari, ter sofrido reestilizações nos últimos anos, o mesmo não ocorreu com a Courier, que mesmo sem ter recebido novos investimentos vende uma boa média de 600 unidades mensais.

GM Chevrolet Classic
O Corsa Sedan Classic é derivado do Corsa 1996, que usa a plataforma 4200. Mesmo com o lançamento do Corsa Sedan novo em 2002, sobre a plataforma 4300, o Classic permanece com vendas expressivas, tendo uma média de 10 mil veículos vendidos mensalmente em 2010, bem acima da vendas das versões Corsa mais novas.

VW Kombi
A Kombi é talvez o maior exemplo de uma “vaca leiteira”: está em produção há mais de 50 anos, sofreu poucas modificações e continua vendendo uma média de 2 mil unidades mensais.

VW Gol AB9
O Gol teve a sua maior modificação em 2008 quando a nova geração NF adotou a plataforma do Fox (PQ24). A geração antiga (AB9) ainda é produzida e atualmente responde por 30% das vendas do Gol.


Se por um lado as montadoras têm conseguido boas vendas de modelos antigos, as chamada “vacas leiteiras”, as novas leis de emissões e segurança, que passarão a vigorar em 2014, vão forçar a aposentadoria de muitos destes modelos. Portanto, será cada vez mais difícil termos novas “vacas leiteiras” em produção por 20 ou mais anos.

Comentários: 0
 

Comente este artigo

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.