Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Inovação

Ver mais notícias
Toyota usará Tóquio 2020 para lançar tecnologias de mobilidade

Estratégia | 24/07/2019 | 19h45

Toyota usará Tóquio 2020 para lançar tecnologias de mobilidade

Nos jogos olímpicos do Japão a empresa vai introduzir veículos autônomos, elétricos e célula de combustível para transporte de atletas, organizadores e turistas

PEDRO KUTNEY, AB

Patrocinadora oficial das Olimpíadas de Tóquio 2020, a Toyota usará o evento como plataforma do conceito Mobility for All (Mobilidade para Todos), que envolve demonstrações e o lançamento de várias tecnologias de mobilidade durante os jogos (assista vídeo mais abaixo), como meio de solidificar a estratégia de se transformar em um fornecedor de variadas formas de mobilidade, para além de um fabricante de veículos.

A empresa quer promover nos jogos olímpicos o que chama de “construção da sociedade do hidrogênio para os próximos 100 ou 200 anos”, com o uso do gás para gerar energia elétrica que alimenta veículos elétricos que serão demonstrados e vão prestar serviços durante o evento, incluindo o carro Mirai, um modelo de ônibus urbano e até empilhadeiras, que emitem apenas vapor d’água na atmosfera. Também foram projetados modelos especiais elétricos a bateria para transporte dentro da vila olímpica. Dessa forma, a Toyota espera ser protagonista da meta de tornar a próxima olimpíada a que menos emitiu CO2 na história.

A Toyota também vai mostrar seu desenvolvimento no campo de sistemas de direção autônoma e inteligência artificial aplicada aos seus automóveis, colocando para rodar em áreas específicas da capital japonesa modelos equipados com as tecnologias.

ELETRICIDADE E AUTONOMIA PARA A VILA OLÍMPICA



Para o transporte de atletas e organizadores na vila olímpica, a Toyota usará dois veículos especiais elétricos a bateria. O e-Palette é uma espécie de van 100% autônoma que vai circular em trajetos curtos e pré-definidos, levando pessoas entre os pontos de interesse do evento.


O autônomo e-Palette (esq.) e o APM: elétricos para transporte na vila olímpica

Já o APM (Accessible People Mover) é um elétrico projetado especialmente para os jogos olímpicos, também para trajetos curtos, rodando a até 19 km/h e com autonomia para 100 km antes de precisar recarregar as baterias. Cerca de 200 APMs vão circular em diversos pontos do evento para transportar atletas, funcionários, visitantes com alguma deficiência de locomoção, famílias com crianças e pessoas que precisem de socorro médico. Cada APM tem capacidade para levar o motorista e cinco passageiros ou um cadeirante mais dois passageiros. Na configuração de socorro, vão a bordo motorista, dois socorristas e uma pessoa deitada na maca.

Para áreas de circulação de pedestres de Tóquio, como calçadões, a Toyota espera multiplicar o uso de seus BEVs, triciclos elétricos que circulam a baixa velocidade, podem ser dirigidos em pé ou sentado e oferecem maior estabilidade e segurança do que os patinetes de duas rodas.

Outro cartão de visitas da Toyota aos muitos visitantes que deverão visitar Tóquio durante as Olimpíadas serão os híbridos JPN Taxi. Lançada em 2017, a espaçosa minivan foi especialmente projetada para uso como táxi, com apelo de conforto e baixa emissão para circulação nas cidades. O modelo alia motor a gás liquefeito de petróleo (GLP) com outro elétrico.


O JPN Taxi híbrido a gás: cartão de visitas da Toyota nas ruas de Tóquio

CONCEITOS DE AUTONOMIA



A Toyota vai colocar em testes reais de circulação durante a olimpíada o Concept-i, carro-conceito apresentado pela primeira vez no Salão de Tóquio de 2017. É um elétrico dotado de inteligência artificial, que “entende as pessoas” ao reconhecer suas emoções, para estimar preferências e garantir segurança – o veículo entra automaticamente em modo autônomo se verificar que o motorista está em situação de stress sem condições de dirigir.


Toyota Concept-i estará em testes nas olimpíadas: inteligência artificial para reconhecer emoções do motorista

Em algumas áreas, a Toyota vai colocar para circular carros de uso oficial dos jogos olímpicos equipados com o sistema Highway Teammate, com nível 2 de autonomia, que guia sem interferência do motorista em pistas expressas e estradas que circulam a capital japonesa.

ERA DO HIDROGÊNIO



A Toyota aposta que a mobilidade elétrica do futuro será alimentada por células de combustível, uma espécie de gerador eletroquímico que transforma hidrogênio e ar em eletricidade e nesse processo emite apenas vapor d’água, com abastecimento e autonomia comparáveis a um veículo com motor a combustão. Carros elétricos com gerador eletroquímico a hidrogênio vêm sendo desenvolvidos há mais de 20 anos por diversos fabricantes, mas até agora nenhum encontrou viabilidade econômica para usar a tecnologia em grande escala. A Toyota é a primeira na construção do que chama de “sociedade do hidrogênio”.


Toyota Mirai: primeiro elétrico a hidrogênio produzido comercialmente será um dos carros oficiais dos jogos olímpicos

A fabricante vai fornecer para uso oficial nos jogos de 2020 algumas dezenas de Mirai, sedã que em 2015 tornou-se o primeiro carro elétrico a hidrogênio produzido em escala comercial, hoje vendido no Japão, Europa e Estados Unidos a base de incentivos de governos e montadora que chegam a US$ 15 mil.

Também estarão em circulação nas ruas da capital japonesa durante as olimpíadas os ônibus urbanos Sora, elétricos movidos por células de hidrogênio também produzidos pela Toyota. A fabricante espera que este seja mais um legado seu para o transporte da cidade na construção da era do hidrogênio.


Ônibus urbano elétrico a hidrogênio Sora: legado da Toyota para o transporte público de Tóquio

Adicionalmente, a divisão de equipamentos industriais da Toyota vai fornecer empilhadeiras elétricas a hidrogênio, que vão trabalhar nos armazéns do evento olímpico.

MUITOS ROBÔS



A Toyota também quer mostrar sua experiência científica e ficar conhecida como fornecedora de robôs, usando o conhecimento que já tem há anos no desenvolvimento de robôs industriais. A empresa participa do Tokyo 2020 Robot Project, criado pelo comitê organizador dos jogos para automatizar diversas operações durante o evento.


Robôs desenvolvidos pela Toyota para as Olimpíadas de Tóquio 2020

Ficou a cargo da Toyota o desenvolvimento de quatro robôs de apoio à mobilidade. Dois deles, o HSR e o DSR vão trabalhar em conjunto nas áreas de estádios destinadas a cadeirantes e pessoas com deficiência de locomoção. O HSR conduz os incapacitados até seus assentos e pode trazer bebidas ou alimentos pedidos por meio de um tablet. Já o DSR traz esses pedidos até o HSR. Estima-se que os dois vão atender a mais de mil espectadores cadeirantes dos jogos.

O T-TR1 é um robô de comunicação por telepresença desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa dos Estados Unidos. Ele tem o tamanho aproximado de um adulto e pode ser utilizado em teleconferências, transmitindo em uma tela sobre rodas imagem, som e movimentos de pessoas distantes da sala de reunião. Uma câmera instalada no alto do equipamento transmite de volta ao usuário áudio e vídeo. A ideia é colocar alguns T-TR1 a disposição de pessoas que não poderão ir aos jogos de Tóquio, que poderão assistir algumas competições por telepresença, como uma espécie de “avatar”.

Já o FSR é um carrinho autoguiado que será usado em competições de arremesso do atletismo. Ele pode tanto seguir pessoas da organização para recolher objetos, como também pode ser enviado com esses objetos a locais pré-deterninados.

A Toyota também está envolvida no desenvolvimento do robô-mascote dos jogos olímpicos e paraolímpicos, o Miraitowa e o Someity. O mascote robotizado vai recepcionar pessoas em alguns locais do evento e poderá até reconhecer as mais próximas. Também poderá comunicar seus movimentos de pés e mãos a outro robô, o humanoide T-HR3, que dessa forma representará convidados distantes na interação física com atletas.

Assista abaixo o vídeo que resume as soluções de mobilidade, eletrificação e automação desenvolvidas pela Toyota que estarão nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020





Tags: Toyota, Olimpíadas de Tóquio 2020, Jogos Olímpicos, Japão, tecnologia, mobilidade, elétrico, célula de combustível hidrogênio, Mirai.

Veja também

AB Inteligência