Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Inovação

Ver mais notícias
Qualcomm quer tornar o setor automotivo um de seus grandes negócios

Tecnologia | 23/08/2019 | 19h29

Qualcomm quer tornar o setor automotivo um de seus grandes negócios

Companhia trabalha em soluções de comunicação essenciais para que o carro autônomo se torne realidade

GIOVANNA RIATO, AB

A chave para o carro autônomo, quem diria, é a comunicação. E é justamente esta questão que a Qualcomm trabalha para resolver, garantindo aos automóveis a capacidade de transmitir e captar informações das vias, pedestres e de outros veículos. A fabricante de chips e semicondutores esteve por trás das principais inovações tecnológicas das últimas décadas: de smartphones a drones e computadores. Agora, a próxima meta é avançar no setor automotivo, como conta Hélio Akira Oyama, diretor da área de produtos da companhia no Brasil.

“Os veículos precisarão transmitir cada vez mais informação com velocidade e precisão. Por isso, é natural que o setor automotivo se transforme em um negócio de alta relevância para nós ao lado da indústria de telefonia móvel”, diz.

O executivo participou do Simea, Simpósio de Engenharia Automotiva promovido pela AEA, Associação Brasileira Engenharia Automotiva, nos dias 21 e 22 de agosto.

CV2X: A COMUNICAÇÃO ENTRE O CARRO E TODO O ENTORNO


A chave para o carro autônomo em que a Qualcomm vem trabalhando é a tecnologia CV2X, que garantirá a troca de informações e plena comunicação entre o carro e a infraestrutura viária, os outros veículos e, ainda, os pedestres. “É isso que vai permitir que o veículo autônomo dê certo, reduzindo drasticamente o número de acidentes”, diz.

O executivo admite que a companhia negocia o fornecimento da solução globalmente com uma série de montadoras. A Ford, por exemplo, já confirmou que usará a tecnologia em seus carros a partir de 2022. Segundo Oyama, não há confirmações para o Brasil, mas ele é otimista para o avanço da solução localmente no médio prazo.

“A adoção é feita globalmente pelas empresas. O Brasil não vai ficar fora da rota do carro autônomo e do CV2X.” Para o executivo, a indústria automotiva não tem como fugir da necessidade de incorporar novas tecnologias de comunicação e transmissão de dados nos veículos.

“Se o setor não se adapta e traz soluções diferentes, ele está morto. É um movimento parecido com o da telefonia celular com a chegada do smartphone, que se tornou a maior plataforma tecnológica da história humana”, diz, estimando que, em pouco tempo, o automóvel tende a se transformar em um celular sobre rodas.

5G VAI INJETAR MAIS US$ 12 TRILHÕES NA ECONOMIA GLOBAL


O executivo da Qualcomm lembra que, para avançar globalmente, o carro autônomo depende da melhoria da capacidade de comunicação e do trânsito de dados, algo que só vai acontecer com o avanço do 5G, a quinta geração de telecomunicação móvel, que já começou a avançar e deve ganhar força no mundo nos próximos anos.

“É uma tecnologia que traz mais velocidade, eleva a capacidade de transmitir dados e é mais confiável e disponível”, conta. Segundo ele, em um período de ano, a conexão 5G só fica fora do ar por um tempo somado de 32 segundos – número drasticamente menor do que o da tecnologia atual, 4G.

Oyama diz que o impacto do novo padrão vai ser tão grande que o 5G poderá adicionar US$ 12 trilhões à economia global até 2035, incluindo aí ganhos de eficiência e espaço para o surgimento de novos negócios.



Tags: Qualcomm, tecnologia, comunicação, carro autônomo, setor automotivo.

Veja também

AB Inteligência