Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Máquinas Agrícolas | 11/05/2011 | 19h22

Construção: CNH eleva ambições

Empresa projeta mercado de máquinas duas vezes maior no Brasil

Pedro Kutney, AB

Pedro Kutney, AB

A CNH, fabricante de máquinas agrícolas e de construção do Grupo Fiat, está dobrando suas apostas para o mercado brasileiro. “Com tantas obras de infraestrutura que o Brasil precisa, essa expectativa é plenamente justificável”, avalia Valentino Rizzioli, presidente da CNH Latin America. “Há muitas estradas, aeroportos e estádios a serem construídos nos próximos anos, que vão precisar de muitas máquinas”, completa.

O executivo justifica sua estimativa lembrando que o País ainda compra poucas máquinas de construção em relação ao seu próprio passado: “Em 2010 tivemos um boom de vendas nesse segmento e foram vendidas apenas 25 mil máquinas. Basta lembrar que nos anos 70 chegamos a 40 mil. Por isso não é exagero esperar por um mercado de 50 mil a 60 mil unidades por ano no futuro próximo”, afirmou.

Rizzioli também comparou o mercado brasileiro de máquinas de construção com o de outros países, lembrando que em 2010 foram vendidas 360 mil unidades na China e 100 mil nos Estados Unidos (que em anos normais chega a 170 mil). “Há portanto muito espaço para crescer aqui”, defende o presidente da CNH, que para este ano estima expansão de 30% nas vendas no Brasil de máquinas de construção das marcas Case e New Holland, produzidas na fábrica de Contagem (MG).

Agricultura

Também no segmento agrícola Rizzioli projeta grandes expansões dos negócios. “No fim dos anos 90 o governo tinha a meta de produzir 70 milhões de toneladas de grãos. Poucas pessoas acreditavam que o País pudesse chegar ao patamar de 100 milhões de toneladas, e menos ainda a 120 milhões. Pois eu acreditava e a safra de 2011 está estimada entre 150 milhões e 160 milhões de toneladas”, lembra o executivo.

“E acredito que o Brasil ainda está muito longe de sua capacidade, que pode chegar a 220 milhões ou mesmo 250 milhões de toneladas. Isso vale muitos tratores e colheitadeiras”, destacou Rizzioli, lembrando ainda que o movimento do agronegócio deverá impulsionar por contaminação outros segmentos de mercado, como o de caminhões para transporte e também o de máquinas de construção, “que vão construir as estradas necessárias para escoar a produção”.

Investimentos

Em 2010 a CNH teve o seu melhor desempenho no Brasil e a divisão latino-americana da companhia faturou US$ 1,2 bilhão, ou 7,5% da receita global de US$ 16 bilhões. Para aproveitar a expansão do mercado brasileiro a empresa programou investimento de R$ 1,7 bilhão de 2011 a 2014. Os recursos serão destinados à ampliação e modernização de quatro fábricas de máquinas agrícolas e de construção no País (Curitiba, Sorocaba, Piracicaba e Contagem), além do desenvolvimento de novos produtos. A CNH também investe US$ 100 milhões em nova planta na Argentina, onde produzirá tratores “fruteiros” e colheitadeiras de grãos.

Em 2010 a CNH concluiu outro investimento bilionário no País, de R$ 1 bilhão, com a reativação das operações em Sorocaba, onde inaugurou a maior fábrica de colheitadeiras de grãos do mundo.



Tags: CNH, Case, New Holland, máquinas de construção, máquinas agrícolas, investimento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência