Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 12/05/2011 | 16h40

Diretor da Iveco comemora qualidade do pós-vendas

Maurício Gouveia fala da importância do novo centro de peças.

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

Durante a visita ao Centro de Operações de Peças Iveco (Copi), que comemora um ano de existência neste mês de maio, o diretor de pós-vendas da empresa, Maurício Gouveia, recebeu Automotive Business. As instalações dividem espaço a Case New Holland, também do grupo Fiat. Num bate-papo, Gouveia recorda como foi a migração do antigo centro de peças de Diadema para as atuais instalações sorocabanas, que custaram R$ 30 milhões.

Ele fala da necessidade de ser ágil por causa do cliente, que jamais pode ficar com um caminhão parado à espera de peças. E cada novo produto da marca implica 4,5 mil componentes a mais em estoque. Em razão do crescimento das vendas da marca, ele informa que em 2012 o Copi deve dobrar de tamanho, passando a 20 mil m². Gouveia orgulha-se dos números positivos que o novo centro de peças produz, como “96% de eficiência de atendimento imediato e erros de embarque abaixo de 0,25%”. Segundo ele, esses dados seriam semelhantes aos de Volvo e Scania, importantes concorrentes.

Automotive Business - O que motivou a mudança para cá e como ela ocorreu?
Maurício Gouveia - “O espaço em Diadema estava próximo do limite. Tinha a metade da área atual (que é de 10 mil m²). Durante seis meses fomos abastecendo o centro de peças de Sorocaba e esvaziando o antigo, de Diadema. Mas todos os equipamentos daqui são novos. Para as instalações atuais, não queríamos mais a antiga parceira de logística (Ceva) porque desejávamos ter total controle das operações.” Nesse momento, Gouveia explica que ter um parceiro significa estar preso a um contrato que muitas vezes impede que as operações sejam feitas como ele deseja.

AB - Além do Copi aqui em Sorocaba, existe algum outro centro de peças para a Iveco?
MG - "Não. Estudamos a possibilidade de um local no Sul do Brasil. Temos até um pequeno local no Centro-Oeste, mas esse eu nem conto. O cliente encontrará os itens que precisa nos concessionários.”

AB - Tem algo em fase de implantação para melhorar as operações atuais?
MG - “O próximo passo é chegar com um software ao varejo. Chama-se Ramsés. Pretendemos implantá-lo em um ano.” O executivo falou das vantagens do sistema, que permitirá integração total entre o Copi e os pontos de vendas de peças Iveco em todo o Brasil.



Tags: Iveco, Copi, Maurício Gouveia, Case New Holland, Ramsés.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência