Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Motociclos | 13/05/2011 | 17h40

Sundown Motos quer voltar à briga pelo mercado

Após dificuldades, empresa promete novos produtos.

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

Depois de um bom tempo no limbo e sem produzir de outubro a janeiro, a Sundown Motos esboça reação. A marca chegou a ocupar o terceiro lugar em emplacamentos por nove meses entre 2004 e 2006, mas entrou em forte declínio com a crise mundial de 2008. Segundo o antigo presidente, Walther Biselli, a empresa só não fechou por causa da boa participação da marca em cidades do interior. Em dezembro de 2009, Biselli anunciou um investimento de R$ 15 milhões em novos produtos por parte dos empresários Edilson Binotto e Fernando Buffa.

A promessa das novidades, para janeiro de 2010, não se concretizou. Muitas revendas fecharam. Sobre essa demora na reação e as perspectivas para um mercado mais concorrido, Fernando Buffa, atual presidente da empresa, falou com exclusividade à Automotive Business. Aos 51 anos, o engenheiro mecânico formado pela USP em São Carlos (SP) promete novos modelos para o início de julho de 2011.

Automotive Business - De acordo com os números publicados pela Abraciclo, a Sundown parou de produzir motos em outubro de 2010.
Fernando Buffa - De fato, a produção ficou parada até janeiro deste ano. Voltamos a produzir e estamos montando entre 2,3 mil e 2,4 mil unidades por mês, distribuídas entre os modelos Web 100, Future 125, Max 125 e Hunter 100. [Nota da redação: todos estes modelos fazem parte da linha antiga, que a marca já montava antes crise de 2008.]

Quantas revendas permanecem abertas e como a Sundown convencerá empresários a investir novamente numa concessionária da marca? Eles terão algum tipo de facilidade, vantagens, campanhas na TV?
Temos 184 pontos de venda, 110 concessionárias e 67 oficinas autorizadas. Para a abertura de concessionárias estamos dando prioridade às regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sul. Apresentamos a eles um plano de trabalho com base no desenvolvimento de produtos, serviços e especialmente no pós-vendas, que para mim é o ponto mais importante. Reconheço problemas com a marca. Vender é um desafio, mas manter o produto é um desafio ainda maior.

Qual é o investimento para abrir uma concessionária Sundown?
Numa cidade de porte médio e estimativa de venda de 40 a 50 motos por mês, são necessários cerca de R$ 200 mil, incluindo capital de giro, produtos e instalações, fora o ponto. Para uma cidade grande e volume de 80 a 90 motos por mês, esse valor sobe para R$ 320 mil a R$ 330 mil.

E os produtos novos, quando chegam? Eles foram prometidos para janeiro de 2010.
Chegam às revendas em julho. Teremos um novo scooter, o Outlook 150, renovamos a V-Blade 250 cc e haverá também uma esportiva de 250 cc, a Roadwin. Durante o primeiro semestre de 2010 houve conflitos que não permitiram que a empresa andasse, como problemas para a transferência das ações da Tophill. Um processo que normalmente levaria duas a três semanas levou quatro meses.

A Sundown chegou a ser a terceira em vendas no Brasil, mas agora existem novos concorrentes. Com quem a marca vai dividir mercado?
Vamos brigar com Suzuki, Dafra e Kasinski, mas com serviços muito melhores.

E a produção de bicicletas, como está? Houve um período em que as redes de hipermercados eram repletas de modelos Sundown.
Não fazemos mais bicicletas. Não temos como produzi-las aqui pela margem que fica para nós quando vendemos para as redes de hipermercados.

E o que garante que a marca não vai morrer e que esses novos anúncios e nossa conversa não são apenas uma cortina de fumaça?
O que garante é que eu e meu sócio (Edilson Binotto) não gostamos de jogar dinheiro fora. Estamos fazendo investimentos na marca e em forma de patrocínio automobilístico (em modalidades como Fórmula Indy e Racing Festival). Temos contratos a cumprir.

Como esclarecimento, segundo a Sundown, o processo de reestruturação societária a que a companhia se submeteu teve alguns desdobramentos recentes. As empresas ESB (Edilson Binotto) e Phenix (Fernando Buffa) concluíram o processo de aquisição das ações do fundo de participações Tophill e conjuntamente passaram a deter 78,28% do capital da Brasil & Movimento (B&M), tornando-se, desta forma, os novos controladores da empresa. Completam a sociedade a Holding Airumã, com 14,77%, e a empresa SWN, com 6,95%.



Tags: Sundown, Walther Biselli, Fernando Buffa, Edilson Binotto, Abraciclo, Outlook 150, Roadwin, V-Blade.

Comentários

  • Ednaldo Farias

    Tenho uma vblade 2007 até hj. e me deu alguns problemas que acho que todas podem ter.....mas rezo para que a Sundow se reabilite... mas que fabriquem uma 600... e tenho certeza que estarei na fila... abçs

  • Antanio Carlos Botelho

    Comprei uma sundown v-blade 2007/2008 , acho a moto muito bonita e boa estou muito contente com a moto, gostaria que a fabrica da sundown voltace a fabricar a moto.

  • Henrique de Carvalho

    Tenho uma Hunter 90 e sou muito feliz com ela me ajuda muito no dia dia eu torço para que a sundown volte fabrica.

  • sebastiao ss filho.

    Tenho uma sundown max 2010 e que já veio com problemas na caixa de marcha e embreagem e foram trocadas e que sempre apresenta as vezes o endurecimento das marchas ai é só voltar com cuidado e resolvido o problema se pisar com força para volta ou pássar as machas vai danificar a estrela e garfo que já foram trocados tres vezes. Comprei a moto acho muita bonita e sempre compraria uma moto dessas é muito mais bonitas que a Honda que só tem nome e bom equipamento mais superveia e sem acessorios e as vezes sem marcador de combustível. Se tivesse verba entraria de sócio para levantar a Sundowun aleias tenho mais ainda não disponível se eles quiserem poderei compra-la mais só os 100% das ações e os engenheirtos como funcionários para melhorar os equipamentos de fazer bem resistente como os equipamentos da honda. Será quanto vale a Sundowun milhões ou bilhoes? creio que milhoes.

  • elitom lopes

    bom dia ja trabalhei como gerente de vendas de uma consecionaria da marca e moro na bahia tenho muitas otimas lembranças chegamaos a vender 70 motos por mes e quando pestavamos no auge veio a crise 2008 mais ate hoje a muita gente que pergunta pelaq marca eramos do grupo estrela moptos da cidade de luis eduardo magalhaes bahia e barreira guananbi e bom jesus da lapa ! o saite ainda ta funcuionando. ainda tenho uma hanter 100 e tem muita pessoas que ainda tema as motos e querem peças! como fazemos para obtelas. gostaria de reabrir uma revenda aqui

  • leonardo

    isso é uma piada !!!!!!!!!!!! e falta de respeito com o consumidor.... a sundown sumiu e deixou os propietarios de motocicletas na mão !!!!!!! estamos em 2013 e nada até agora !

  • jailson lima

    TENHO UMA MOTO MAX SED 2008 NÃO ME ARREPENDO POR TER COMPRADO,MAIS SINTU MUITO QUANDO PRESISO DE UMA PEÇA COMO A TAMPA LATERAIS OU A LANTERNA TRAZEIRA AI SIM MAIS 90% DASOUTRAS PEÇAS SÃO DA HONDA,MOTO DELA E DE PRIMEIRA,ONTEM DIA 17/05/2013 AQUI EM RECIFE TEVE UMA CHUVA MUITO FORTE QUE ALAGO TODAS AS VENIDAS PASSEI COM AGUA NO TANQUE PENSEI QUE IRIA MORRE DENTRO DAGUA MAIS QUE NADA PASSEI TIRANDO ONDA COM UNS CARAS QUE ESTAVAM HONDA EMPURRANDO

  • BENEDITO ALVES

    tenho uma hunter 125 [2007], e estou contente com ela ! pena que não tem peças para éla , sou obrigado a usar algumas peças da[ titan 2000].... É uma pena.

  • wandersson

    Eu tenho uma sundown stx 200 motard modelo de 2010, e quero saber se tem fornecedores de peças aqui em Pernambuco? se vam continuar fabricando a mesma.

  • JOSE ANTONIO

    eu como muitos outros fui iludido pela marca, comprei uma scooter future 125, a marca nos abandonou, ficamos sem representante, adquiri no ano de 2008, tirei um consorcio da Honda e utilizei o mesmo para comprar esta scooter, que decepção, rede despreparada, atendimento péssimo, me ofereceram um atendimento de cliente ( reboque ) que não consegui realizar, pois teria que levar minha scooter para loja, para uma simples limpeza, a minha esta com 352 km, parada, preciso de peças e é muito difícil, perdi dinheiro, se esta marca voltar, pode certeza irei fazer de tudo para denegri-la, até na justiça e eu entrei contra eles, mas infelizmente eles tinham advogados muito bons, que iludiram a corte, fica aqui registrada minha indignação por esta marca, ai eu vejo este senhor falar maravilhas sobre a volta, ele precisa sim ver os comentários feitos por outros compradores. só enganaram o povo e sumiram, uma VERGONHA.

  • João Evangelista

    eu comprei uma sndown max em dezembro de 2009 logo começaram os poblemas, com 6 meses ela estourou o motor devolvi ela onde eu comprei, e eles sumirao com a moto,bom esperei 60 dias para eles da o valor q eu paguei ou da outra moto.mais nada fizerao ,entao entrei na justiça contra a revendedora,pedindo o meu dinheiro de volta,e em 2014 o juiz condenou a revendedora me devolver volor de 5.800 reais corregido total 11 mil reais. e tambem o juiz condenou a fabrica me pagar uma indenizaçao no valor de 6.000 reais corregido, total 11.000 reais hoje as indenizaçoes ja soma um total de 27,000 reais sõ q ate hoje eu nao recebi nada ainda

  • jose ricardo

    tenho hoje em 2016 uma web 2008 e a moto que me leva para o trabalho todos os dias sao 60 quilometros por dia faço 170 quilometros com quize reais de gasolina gosto muito da moto e muito boa de mecanica o so poderia ser melhorado na moto e as carenagen que vibran muito tenho ela ja fas 02 anos so trquei relacao e peneu espero que a fabrica da sundown continue

  • heldemar antonio mass

    eu tenho uma moto stx 200 é a melhor moto que eu ja tinha ate hoje faço envolta d 40 kilometros por litro de gasolina no velocimetro marca ate 110 na 3 marcha e na 4 marcha ja vai ao fim outra moto muito boa é a maxx 125 da sundown motos boa temais e faz boa kilometragem por litro

  • Julio Araujo

    Tenho uma MAX 125 que já passou de 10 anos de uso constante. Nunca mexi no motor e até hoje nunca fumou - quanto a peças até hoje nunca fiquei na mão. Se eu fosse adquirir outra moto só se fosse Suzuki (que também conheço bem) pois sei que ela não precisa ficar alisando para andar (como a MAX).

  • MarcosAurélio da Silva neves

    Trabalheina sundawn anos de 2006 a 2008, na montagem da v blade uma moto muito boa, espero que um volte a ser montada de novo.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência