Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 25/05/2011 | 21h56

Governo, entidades e empresas debatem Euro 5

Anfavea promove encontro sobre diesel e emissões.

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

Despertou interesse expressivo o Debate sobre Diesel e Emissões que a Anfavea promoverá na segunda-feira, 30 de maio, no Centro de Convenções Milenium, em São Paulo, para analisar as questões associadas à mudança na legislação de emissões veiculares em janeiro de 2012. Cerca de 290 participantes já haviam confirmado a presença até o início da semana, provocando a interrupção das inscrições. Eventuais desistências serão cobertas por uma lista de espera.

A abertura do evento caberá a Cledorvino Belini, presidente da Anfavea, que enfatizará a importância de um esforço final de todos os players envolvidos na transição das tecnologias, combustíveis e veículos comerciais dos padrões Euro 3 para Euro 5. As mudanças determinadas pelo Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente são rígidas e exigem novos procedimentos para purificação dos gases resultantes da combustão do diesel nos motores.

A redução de emissões exigirá o uso de diesel mais limpo (50 ppm) nos veículos que serão fabricados a partir de janeiro. A Petrobras já assegurou a disponibilidade do produto, embora a Fecombustíveis tenha alertado sobre uma possível dificuldade da rede de postos fazer investimentos para implantação de bombas específicas para o novo combustível. Caberá à ANP equacionar a questão e garantir a capilaridade na distribuição do diesel com 50 ppm de enxofre, que será fornecido pela Petrobras.

Parece menos complexa a distribuição do Arla 32, produto à base de ureia que será utilizado no sistema de tratamento dos gases emitidos pelos motores. A Vale Fertilizantes e a Petrobrás já anunciaram a fabricação do produto e haverá também importações. Na distribuição atuarão empresas como a Yara Brasil, a Tirreno e a Cummins.

Os grandes frotistas, usuários de caminhões pesados, serão os principais usuários do diesel limpo e do Arla 32, que poderá ser estocado pelas próprias transportadoras. A Yara Brasil oferecerá um programa de suprimento contínuo às empresas, assegurado pelo monitoramento do estoque de ureia por telemetria. A venda nos postos será simplificada pela utilização de embalagens apropriadas, dispensando a implantação de tanques especiais.

O mercado aguarda com alguma ansiedade algumas definições importantes que acompanharão a chegada dos novos caminhões, motores, combustíveis e tecnologias. Entre elas estão os preços dos veículos Euro 5, do diesel 50 ppm e do Arla 32. Os usuários estão interessados em saber também como serão as condições de garantia dos motores (mais sensíveis a impurezas) e conhecer detalhes das novas tecnologias. As respostas serão mais precisas a partir do evento promovido pela Anfavea e as estratégias dos fabricantes de caminhões devem ser desvendadas por completo na Fenatran, em outubro.

Programa

Paulo Macedo, do Ministério do Meio Ambiente, apresentará as exigências da nova legislação e Marco Saltini, vice-presidente da Anfavea, explicará as tecnologias incorporadas ao powertrain dos novos veículos que serão comercializados a partir de janeiro de 2012.

Frederico Kremer, da Petrobras, fará palestra sobre a produção de diesel de baixo teor de enxofre, indispensável para a operação correta dos motores. Já Allan Kardec, da ANP, analisará o programa de abastecimento do combustível.

Achile Liambos, diretor da Yara Brasil, braço local do maior fabricante de Arla 32, avaliará os programas em desenvolvimento para a produção e distribuição do reagente utilizado para redução catalítica dos óxidos de nitrogênio presentes nos gases de exaustão. A tecnologia é conhecida como SCR e será empregada por veículos semipesados e pesados.

Confirmaram presença nas sessões de debates Neuto Reis, da NTC; Márcio Schettino, da Secretaria dos Transportes de São Paulo; Rui de Abrantes, da Cetesb; Gilberto Leal, da Mercedes-Benz; Ricardo Hashimoto, da Fecombustíveis; Cláudio Nelson Abreu, da Abrati; e Fábio Feldman, consultor ambiental.



Tags: Anfavea, ANP, Petrobras, Yara Brasil, Abrati, diesel, Arla 32, emissões.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência