Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Caminhões e Ônibus | 30/05/2011 | 22h25

Euro 5: motores prontos, diesel nem tanto

Com produtos homologados, preocupação é a distribuição do S50

Jairo Morelli, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Jairo Morelli, AB

Todo mundo sabe que, partir de janeiro de 2012, todos os fabricantes de caminhões e ônibus no Brasil estão obrigados a equipar os veículos com sofisticados motores ajustados aos limites de emissões estabelecidos pelo Proconve P7, equivalente à norma Euro 5. O que ainda não se sabe com segurança é se haverá diesel adequado para fazer o sistema funcionar em todo o território nacional (S50 em 2012 e S10 em 2013). A maneira como o combustível com baixo teor de enxofre será distribuído, seu preço e como será o fornecimento do Arla 32 usado no pós-tratamento de gases são outras indefinições. Para tentar esclarecer as muitas questões que colocam em risco o bom desempenho da fase 7 do programa brasileiro de redução de emissões para veículos comerciais, a Anfavea, associação que reúne os fabricantes, realizou nesta segunda-feira, 30, o seminário “Diesel e Emissões em Debate”, que contou com a presença de praticamente todos os representantes da cadeia de produção e distribuição do combustível no País.

O primeiro a abordar o assunto foi o diretor de relações governamentais e institucionais da MAN Latin America e também vice-presidente da Anfavea, Marco Saltini. Apesar de confiante no cumprimento do programa, o executivo cobrou maior clareza das partes envolvidas, principalmente no que diz respeito ao fornecimento do diesel S50 e do reagente Arla 32. “As questões estão encaminhadas, porém, ainda não foram resolvidas.”

Saltini aproveitou para dimensionar o mercado e a frota circulante composta, hoje, por 2,2 milhões de veículos movidos a diesel, sendo 28% de modelos Euro 0, 12% Euro I, 26% Euro II e 34% Euro III. Ele também destacou os trabalhos desenvolvidos por algumas capitais como Fortaleza, Belém e Recife, que já contam com o diesel S50, e apresentou a grande queda de emissões de materiais particulados conquistada na transição dos motores Euro I para Euro III, que ficaram cerca de 80% menores.

Sem atraso


Gilberto Leal, diretor de desenvolvimento de motores da Mercedes-Benz do Brasil, lembrou que o diesel ideal para os motores Euro 5 é o S10 (com apenas 10 partes de enxofre por milhão, ou 10 ppm), mas ponderou que com o S50 o funcionamento também será adequado. Caso o abastecimento não seja feito com diesel de baixo teor de enxofre, Leal destacou que o OBD, sistema de diagnose eletrônico, irá detectar isso e, depois de um certo número de ocorrências, irá reduzir automaticamente a potência do motor (25% para veículos até 16 toneladas e 40% nos maiores que isso), para evitar danos maiores. “Mas isso só acontecerá quando o motor for religado. Nunca com o caminhão em funcionamento”, explicou.

Produto mais caro

Leal admitiu que os novos veículos Euro 5 deverão ficar de 8% a 15% mais caros e deverão gastar 5% de Arla 32 para cada tanque de diesel. Os custos maiores são justamente a maior das preocupações dos transportadores, conforme destacou Neuto Gonçalves dos Reis, diretor para assuntos técnicos e econômicos da NTC&Logística. “O preço do caminhão ainda é o maior custo da planilha de qualquer transportador, que deverá repassar isso ao frete”, avalia.

Reis alertou que deve haver forte antecipação de compras de frotistas, para fugir do preço maior dos caminhões Euro 5, o que enfraquecerá as vendas em 2012. Saltini, da Anfavea, lembrou que, para evitar a queda drástica de produção no fim do ano, os modelos fabricados até 31 de dezembro poderão ser emplacados até março, porém todos os fabricantes terão de fornecer relatórios com os volumes negociados no período.



Tags: Euro 5, Proconve P7, diesel, S50, S10, Anfavea, Ibama, NTC&Logística, motores, Arla 32.

Comentários

  • Raul Seára Néto

    Boa noite, Eu moro no sul do Brasil e pretendo em março/2017 seguir até ao Alaska com o meu motor home Iveco com motor Euro 5, sendo que funciona com combustível S10 a S50. Onde posso obter informações sobre os combustível nesses ´países. Agradeço a colaboração.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência