Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Caminhões e Ônibus | 17/06/2011 | 09h10

NC2 revela os planos para caminhões no Brasil

Depois da plataforma Global Eagle virão os vocacionais Cat.

Automotive Business

Luciana Duarte, especial para Automotive Business

Foto: Marcelo Maceira, diretor de vendas e marketing da NC2

A NC2 Global continua desenvolvendo em segredo a nova geração de caminhões que serão lançados no Brasil até 2013. O trabalho reúne engenheiros brasileiros e norte-americanos na sede da Navistar, em São Paulo. Os novos veículos chegarão ao mercado local em etapas. Até o fim de 2012 terá início a comercialização dos pesados com capacidade de 74 toneladas de PBTC (Peso Bruto Total Combinado) nas versões 6x2 e 6x4. Um ano depois chegarão às revendas da marca os semipesados de 27 toneladas de PBTC nas versões 6x2 e 6x4.

A plataforma Global Eagle, que consumiu parte do investimento inicial de US$ 200 milhões, prevê oferta de cavalos mecânicos em duas configurações de cabines equipados com motores MWM International ou Cummins com potência na faixa de 180 a 550 cavalos.

Também está nos planos da NC2 lançar em 2014 caminhões Cat (Caterpillar) de 24 t a 55 t de PBT (Peso Bruto Total), equipados com motores de 220 a 600 cavalos.

“É a primeira vez que uma montadora americana inova e lança uma linha de produtos das marcas International e Caterpilar para comercialização mundial, fora da América do Norte”, disse Marcelo Maceira, diretor de vendas e marketing da NC2 em primeira mão a Automotive Bussiness. O executivo assumiu o posto de Cesar Longo, que havia sido designado para comandar o desenvolvimento e implementação de planos estratégicos no Brasil e América Latina.

"Os novos caminhões seguem a tendência mundial com características de caras-chatas e tecnologia de ponta para competir com marcas como Volvo, Scania e Mercedes-Benz, entre outras”, garante o executivo.

A NC2 mantém a operação em Caxias do Sul, RS, em instalações da Agrale, utilizadas nos últimos anos pela International, mas avança no projeto de uma fábrica própria.

Agora a Navistar também estuda a possibilidade de fabricar no Brasil caminhões semileves, leves e médios para atender o mercado brasileiro, possivelmente com cabines da chinesa JAC, com quem já mantém joint venture em fábrica na China.

De volta ao Brasil

Oito anos depois de deixar o mercado brasileiro, a Navistar International anunciou a volta ao Brasil, após a constituição da joint venture NC2 com a Caterpillar Inc. Há sete meses a NC2 opera no mercado local comercializando o caminhão pesado International 9800i, equipado com motor Cummins. “Cerca de 400 unidades já foram comercializadas nesse período”, calcula Maceira.

Cara-chata, com cabine de alumínio produzida pela Automotiva Usiminas, em Pouso Alegre, MG, o 9800i era destinado apenas à exportação e agora recebeu caixa de transmissão sincronizada. Os eixos são fornecidos pela Meritor, de Osasco (SP).

O caminhão “bicudo” semipesado International DuraStar, nas versões 4x2, 6x2 e 6x4, ainda não está disponível nas revendas. “Ocorreram imprevistos nos ajustes do veículo, que já foram superados. No segundo semestre os veículos estarão liberados”, garante o executivo, que pretende manter os cavalos mecânicos em oferta mesmo após renovar a linha de produtos.

Até 2015 a NC2 pretende contar com mais de 60 pontos de venda em todo o País. Estima-se que exista uma frota de 2,5 mil caminhões International rodando no Brasil, comercializados entre 1998 e 2002, quando a venda ao mercado interno foi suspensa.

Mercado atrativo

A volta da Navistar ao País, por meio da NC2, para fabricar veículos comerciais com as marcas International e Cat, foi confirmada por Al Saltiel, presidente da NC2 Globall LLC, em São Paulo, em outubro de 2010. Na ocasião ele anunciou investimento inicial de US$ 200 milhões e ressaltou a importância do Brasil para a operação global: “A economia é uma das mais importantes do mundo e o mercado de caminhões tornou-se muito atrativo”.

Saltiel disse na ocasião que no longo prazo a NC2 pretende alcançar a quinta posição no ranking brasileiro de vendas de caminhões, onde atualmente atuam Agrale, Ford, International, Iveco, MAN/VW, Mercedes-Benz, Scania e Volvo. A Paccar já anunciou que vai se estabelecer no Brasil, com a marca DAF, e há diversas marcas asiáticas na fila.

A nova companhia brasileira faz parte da NC2 Global, constituída em 2009, com operações na Austrália, China, Rússia, África do Sul e Turquia. A linha Caterpillar será constituída de veículos fora-de-estrada (vocacionais), cuja utilização poderá ser combinada com equipamentos de mineração e construção da marca. Os caminhões sob a bandeira International estarão na categoria de médios a pesados.



Tags: NC2, Navistar, Caterpillar, caminhões, Global Eagle, MWM International, Cummins.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência