Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 11/08/2011 | 12h35

Crise não cancela pedidos da Embraer

Empresa negocia produção do Legacy na China.

Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Agência Estado

Segundo nota publicada por Fernanda Guimarães na Agência Estado, na quarta-feira, 10, a Embraer não recebeu cancelamento de pedidos por conta da crise, que passou a gerar mais preocupações desde a última sexta-feira com o rebaixamento da o rating do crédito dos Estados Unidos. A informação veio do vice-presidente de Operações de Aviação Executiva da Embraer, Marco Túlio Pellegrini, durante coletiva de imprensa em São Paulo.

O executivo disse à jornalista que no momento ainda é difícil estabelecer os impactos no mercado de aviação. Ele entende que, mesmo com crise, os Estados Unidos deverão continuar respondendo por grande parte dos volumes de aviões executivos em todo o mundo.

De acordo com Pellegrini, os eventuais efeitos da crise não são imediatos. "Ainda é preciso entender a dinâmica dessa crise e é difícil fazer previsões", disse. Ele explicou, ainda, que a companhia negocia com clientes chineses a venda de jatos executivos, mas não quis fazer projeção sobre a data de eventual fechamento do pedido.

O vice-presidente da Embraer observou que apesar das restrições impostas na China, "faz toda lógica que a companhia esteja presente naquele país”. Segundo ele, o potencial do mercado chinês para a aviação executiva em geral é de US$ 14 bilhões entre 2011 e 2020, enquanto no Brasil a expectativa para o período é de US$ 6 bilhões.

A fabricante brasileira negocia com a parceira Aviation Industries of China (Avic) o início da montagem do Legacy na China. "Vamos trabalhar para ser o mais rápido possível". No ano passado a Embraer chegou a optar pelo fechamento da fábrica chinesa, devido aos planos chineses de produzir seus próprios aviões e não querer a Embraer como concorrente. O governo brasileiro chegou a um acordo com o governo chinês para a produção do jato executivo Legacy 650.



Tags: Embraer, Legacy, Avic, aviões, Marco Túlio Pellegrini.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência