Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 22/08/2011 | 15h09

GM procura fornecedores no Brasil

Novas demandas tem relação com grande volume de compras previsto

Natalia Gómez, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Natalia Gómez, AB

A General Motors (GM) trabalha para localizar fornecedores no Brasil. Segundo o diretor de compras da GM América do Sul, Orlando Cicerone, a companhia havia seguido a tendência de optar por fornecedores globais em razão da necessidade de agilizar o processo produtivo, o que gerou um volume alto de importações na operação brasileira. No momento a empresa trabalha para localizar fornecedores brasileiros e já se reuniu com o Sindipeças para discutir o assunto.

-Confira aqui a cobertura completa do Simpósio Tendências e Inovação na Indústria Automobilística


Em virtude do grande volume de compras previsto, a GM poderá ter fornecedores internos e externos para alguns projetos. A fim de driblar dificuldades logísticas, o executivo prevê estratégias de armazenamento fora da empresa e o transporte de alguns materiais por via aérea.

A diversificação de fornecimento também é uma medida de segurança depois dos desastres naturais ocorridos recentemente. “O evento no Japão ensinou muito à GM”, afirmou o executivo durante o Simpósio SAE Brasil Tendências e Inovação na Indústria Automobilística, que ocorre nesta segunda-feira no WTC Sheraton, em São Paulo. Segundo ele, a maior lição é a necessidade de ter mais que um local de produção de subcomponentes.

Em relação à demanda do mercado neste ano, o executivo mostrou-se confiante. No primeiro semestre, o forte ritmo da indústria chegou a provocar problemas de abastecimento. O segundo semestre deve ter um ritmo menor, mas ainda positivo. Em sua visão, um leve desaquecimento é favorável porque evita que as empresas operem em um ritmo acima do seu padrão usual, reduzindo risco de comprometer a qualidade.

O plano Brasil Maior, anunciado pelo governo para incentivar a indústria, foi bem visto por Cicerone, mas ele destaca que o setor não deve usar incentivos como muleta. “Hoje o Brasil tem demanda e, se não souber trabalhar isso, seremos invadidos”, afirmou.

Foto: Ruy Hiza



Tags: General Motors, GM, diretor de compras, Orlando Cicerone.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência