Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Política e Legislação | 15/09/2011 | 23h45

Incentivo à inovação tecnológica está em construção, diz Mantega

Ministro afirma que aumento do IPI é de curto prazo

Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Agência Estado

Ao anunciar a forte elevação do IPI para automóveis importados ou que não tenham o mínimo de 65% de conteúdo local, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o governo não quer correr o risco de cair no ranking internacional de produção e mercado consumidor de veículos. “O Brasil é o sétimo maior produtor e podemos cair por causa das importações.” O ministro procurou mostrar que a medida, que fica em vigor até dezembro de 2012, não se trata de política industrial para o setor. Esta, segundo ele, ainda está sendo construída, vai demorar mais tempo e implicará em grande inovação tecnológica para o País. “É uma construção mais demorada que será feita ao longo do tempo.”

Segundo Mantega, em princípio todas as empresas estão habilitadas a pedir o desconto do IPI 30 pontos porcentuais mais elevado, caso comprovem o conteúdo nacional exigido. Elas terão prazo de 60 dias para isso. Se não demonstrarem, terão de pagar a diferença retroativa. O ministro estima que entre 12 e 15 empresas devem se habilitar. Ele disse também que o impacto no preço ao consumidor com o aumento do IPI deverá ser de 25% a 28%. Mas ponderou que esse impacto ocorrerá apenas se o fabricante não conseguir o desconto do tributo comprovando os requisitos.

Já o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, previu que metade dos veículos importados ficará fora do enquadramento. Ou seja, deixarão de ter preços competitivos. Ele informou que o governo fará fiscalização do setor para que os preços dos veículos nacionais não subam. Segundo Pimentel, isso é um compromisso da indústria. “Temos acompanhado os preços da indústria, o setor é competitivo. Mesmo sem os importados não tem majorado os preços. De qualquer maneira, vamos acompanhar. É um compromisso da indústria que eles (os preços) não subam”, disse.

Leia aqui as medidas que o governo exige das montadoras para não aumentar o IPI.



Tags: Plano Brasil Maior, política industrial, IPI, MDIC, regime automotivo, Mantega, Fazenda.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência