Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 24/09/2011 | 13h00

Linha P7 2012 traz Scania V8 mais potente do Brasil

Caminhões têm nova família global de motores

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB
De Caxias do Sul


Com potência e torque maiores em toda a linha 2012 de caminhões, que tem preços de 8% a 15% mais altos, a Scania adiantou alguns dos detalhes da nova família de motores globais que equiparão seus modelos a partir de janeiro próximo, quando entram em vigor no Brasil os limites de emissões para veículos diesel previstos no Proconve P7, equivalente à norma Euro 5. Informações sobre dois inéditos tamanhos de motorização para as cabines P e G (semipesados e pesados) só serão divulgadas em 23 de outubro – data marcada para o anúncio mundial da nova plataforma. Mas na parte de cima da gama de extrapesados a Scania já divulgou sua estratégia: os cavalos mecânicos com cabine R vão usar o novo motor V8 Euro 5 de 16 litros importado da Suécia, de 560 ou 620 cavalos nas configurações 6x2 ou 6x4, tornando-se assim os mais potentes da marca sueca já vendidos no País.


Novo V8 R 620: o mais potente Scania já vendido no Brasil, focado nas cargas acima de 70 toneladas.

É a primeira vez que a Scania decide introduzir no mercado brasileiro de caminhões rodoviários seu motor global de maior potência. “Acreditamos que a procura por esses modelos tende a crescer no Brasil”, avalia Roberto Leoncini, diretor geral da Scania do Brasil. “Éramos muito tímidos na estratégia de oferecer o V8 aqui, mas isso agora vai mudar. Queremos aproveitar a demanda crescente de clientes que precisam de potência maior para cargas acima de 70 toneladas, como é o caso dos rodotrens.”

Para ganhar mercado, Leoncini aposta no atributo de robustez e baixo custo operacional do V8 da Scania. “O motor já é um sucesso mundial e deverá ser bem aceito aqui também.” Mesmo com motor importado, o executivo garante que os novos caminhões V8 R 560 e R 620 atendem o índice de nacionalização mínimo de 60% para serem financiados pelas taxas atrativas do BNDES/Finame.

SCR para o P7


Scania optou pelo sistema SCR para atender o P7: o catalisador (à esq.) funciona com injeção de solução de ureia Arla 32, armazenada em um tanque (à dir.).

A Scania decidiu adotar para toda a linha 2012 o sistema de redução catalítica SCR, com injeção de solução de ureia Arla 32 no catalisador, para atender aos limites de emissões do P7. O SCR foi considerado mais robusto para as condições brasileiras do que o EGR (recirculação de gases), que dispensa o uso de ureia, mas é mais sensível às variações de qualidade do combustível.

A Scania também oferece o EGR em países europeus, mas mesmo nos mercados mais maduros, com ampla oferta de diesel com baixo teor de enxofre, o SCR está ganhando as preferências. “No início da aplicação das normas Euro 4 e 5 a proporção era de 80% dos caminhões Scania vendidos com EGR e 20% com SCR, mas hoje essa tendência se inverteu, porque até na Europa há variações importantes do diesel”, explica Leoncini.

Outra questão que pesou para a escolha do SCR foi a maior facilidade de manutenção. “Como o sistema é instalado à parte, não existem modificações significativas no motor e assim pudemos conservar uma das principais qualidades de nossos motores, que é a simplicidade de manutenção”, alega Leoncini.

Outra vantagem são os ganhos de potência e torque, em média 5% e 9% maiores, respectivamente. O freio-motor também ficou 5% mais eficiente. O novo pacote de motorização traz economia de combustível média de 7%, segundo a Scania, em comparação com a sua linha atual de caminhões.

Novos câmbio automatizado e retarder

Com a nova linha P7, também chega a terceira geração do câmbio automatizado Opticruise, com possibilidade de ser instalado com ou sem pedal de embreagem. “Para algumas operações em trechos mais truncados nossos clientes preferem a opção do pedal. Já para longas distâncias não acham tão necessário”, explica Celso Mendonça, gerente de pré-venda. O executivo conta que a transmissão robotizada foi reprogramada para tornar a condução mais eficiente e econômica: “Não é um software programado em bancada, mas baseado no comportamento do motorista, por isso o equipamento entende melhor as atitudes de quem está dirigindo e faz as trocas de marchas da maneira mais otimizada possível.” O sistema eletro-hidráulico que aciona a embreagem e troca as marchas também ficou mais rápido, diz Mendonça.


Câmbio automatizado Opticruise: controle de trocas ao lado do volante (à esq.) e opção de ter ou não o pedal de embreagem (à dir.).

O Opticruise já equipa 150 mil caminhões da Scania em todo o mundo. No Brasil, embora a marca tenha sido a primeira a oferecer o câmbio robotizado para caminhões, em 2001, a configuração que promete maior conforto e economia de combustível não pegou. Atualmente, segundo Leoncini, apenas de 10% a 15% dos modelos pesados rodoviários da Scania são vendidos com o Opticruise, contra quase 80% da concorrente Volvo. “Foi um erro estratégico não ter explorado melhor a oferta do Opticruise, mas vamos mudar isso. É uma solução de economia e o mercado está mais maduro para adotá-la. A perspectiva é que nos próximos dois anos 60% das vendas de nossos caminhões sejam com a transmissão automatizada”, afirma Leoncini.

Outra evolução da linha P7 2012 é o novo Scania Retarder, que teve a potência de frenagem ampliada em 25%, para até 1.000 cavalos, “o suficiente para segurar qualquer caminhão”, diz Mendonça. “O sistema foi reconfigurado para atuar melhor em baixas velocidades, o que melhorou muito o desempenho nas operações fora-de-estrada, onde a força de frenagem em baixa velocidade, 15 km/h ou 20 km/h, aumenta até 40% em comparação com o retarder anterior.”

“A Scania sempre busca fazer inovações continuadas. Com a linha P7, foi a vez de aplicar melhorias tecnológicas em todo o trem-de-força dos caminhões, sem no entanto mudar o que já é consagrado pelo mercado. Apesar de todas as melhorias, o mecânico não encontrará surpresas em nossos caminhões”, assegura Mendonça, destacando que 4,5 mil pessoas da rede de concessionárias já foram treinadas para executar a manutenção dos novos motores Euro 5.



Tags: Scania, Proconve, P7, Euro 5, caminhões.

Comentários

  • jorge soares de carvalho

    eu adorei o scania. proconve.p7.euro5.caminhões.é uma pena que eu não consegui comprar o meu ainda,mas to na batalha. eu amo os caminhões scania.obrigado por ter esta marca tão fantastica no nosso país.

  • luis eduardo hajaki

    sou caminhoneiro a 10 anos e na minha opiniao nao existe marca para bater a scania ´so acho q a scania tinha q mandar para o brasil a tecnologia de ponta la da suecia pois la fora scania retarder ja saiu na linha 113 aki chegou so no 124 anos depois.

  • cleiton

    esse caminhão é o mais bonito que a scania tem

  • emanuel

    A marca precisa melhorar a durabilidade de seus motores por quilometragem

  • edson nogueira arcanjo

    muito bom principalmente este cambio automatizado parabens !!!

  • reginaldo durão \são patricio-go

    sem duvida, esse caminhão esstá esnobando

  • osmar coelho da paz

    Eu Osmar Coelho da Paz, piloto privado, depois que diriji um caminhão Scania em 1980 opnei por o veiculo e não parei mais só ao aposentar-me no final de 1999. a verdade tem que ser dita o SCANIA é e sempre será o melhor caminhão do mundo.

  • thiago

    scania é o melhor caminhão que existe até hoje pq o resto nem caminhão é,chama se imitação de caminhão infelismente ,parabéns scania sucessos !!!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência