Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Política e Legislação | 29/09/2011 | 19h51

IPI: governo não pretende rever, mas pode negociar

Montadoras com plano de investimentos no País podem receber alívio no aumento da alíquota

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Informações atualizadas no dia 30/9, às 10h55

Redação AB

Embora sem previsão de alterar o Decreto 7567, que determinou aumento de 30 pontos na alíquota do IPI de veículos importados, o governo “está aberto” a propostas de fabricantes estrangeiras que queiram montar estrutura no País, disse nesta quinta-feira, 29, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel.

“O regime está pronto, funcionando. Algumas empresas que querem se estabelecer no Brasil têm nos procurado sugerindo que alteremos os índices de nacionalização exigidos na nova regra. Estamos abertos a propostas mas neste momento não pensamos em fazer mudanças na medida”, disse Pimentel, depois de participação da reunião do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI).

Sem alterar o que já foi anunciado, o governo pode criar condições especiais para as empresas que estão instalando fábrica no País, com alívio no aumento do IPI e um cronograma para alcançar o índice de 65% de nacionalização, exigido pela nova legislação. “O governo está aberto a examinar qualquer proposta séria nessa direção”, garante Pimentel.

Hyundai e BMW estão entre as empresas que já negociam para buscar soluções, segundo informações da Folha de S. Paulo apuradas com assessores da presidência. A montadora coreana está investindo US$ 600 milhões na instalação de uma planta em Piracicaba (SP), que terá capacidade de 150 mil veículos por ano e deve entrar em operação no ano que vem. Apesar de ainda não ter confirmado investimentos, a marca alemã também planeja uma unidade produtiva no Brasil.

A JAC Motors, que anunciou recentemente aporte de R$ 900 milhões para produzir carros no País, também viu seus planos balançarem com o decreto. A companhia não previa atingir tão rápido o índice de 65% de conteúdo nacional e entrou agora na fila das negociações com o governo.

Com informações da Agência Brasil e da Folha de S. Paulo



Tags: IPI, Decreto 7567, carro, importação, Fernando Pimentel, MDIC.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV