Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 30/09/2011 | 02h53

Volkswagen absorve alta do IPI no novo Tiguan

SUV cotado a R$ 105 mil chega por R$ 110 mil

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB
De Belo Horizonte


Primeiro importado a chegar depois da alta do IPI para veículos de fora do Mercosul e México, o novo utilitário esportivo Tiguan trazido da Alemanha será vendido aqui pela Volkswagen por R$ 110 mil – menos de 5% mais caro do que o preço de R$ 105 mil anunciado antes do aumento do imposto; e menos de 8% acima do modelo anterior, que era comprado por R$ 101.330. “Com os novos equipamentos que o carro tem agora, o aumento é muito pequeno”, disse o gerente de marketing de produto Henrique Sampaio, durante a apresentação do novo Tiguan à imprensa, na noite da quinta-feira, 29.

A manobra indica que a Volkswagen acomodou na sua margem de comercialização boa parte do aumento do IPI aplicado ao Tiguan, que de 13% passou a pagar alíquota 30 pontos maior, de 43%. Caso não absorvesse parte da alta da tributação, a fabricante corria o risco de colocar seu SUV em patamar de preço superior, onde se encontram marcas melhor identificadas com o segmento de alto luxo, como Mercedes-Benz, BMW e Audi, só para citar as alemãs.

O valor acima do nível adequado poderia afastar clientes potenciais e abrir um rombo considerável na chamada “linha premium” da Volkswagen no Brasil, fundamentalmente composta por modelos importados da Alemanha, cujas vendas de 12 mil unidades de agosto a janeiro deste ano cresceram 154% em comparação com o mesmo período de 2010. E o Tiguan sozinho, mesmo já em processo de retirada do modelo antigo do mercado, foi responsável por um quarto desse resultado, com 3 mil veículos vendidos e alta de 146% sobre o ano passado. Daí todo o cuidado em não subir demais o preço do novo Tiguan.

“Quando traçamos a estratégia de importar para o Brasil o novo Tiguan o IPI ainda não tinha subido. Foi uma decisão difícil levar a operação adiante com o reposicionamento de preço”, admitiu Jutta Dierks, vice-presidente de marketing e vendas da Volkswagen do Brasil, que está no cargo há pouco mais de um ano. Mas ela avalia que mesmo no valor atual o carro continuará fazendo sucesso entre os clientes brasileiros. Desde que foi lançado no País, em meados de 2009, o Tiguan vendeu cerca de 7 mil unidades.

Ajuda na imagem


O novo Tiguan carrega a nova identidade visual da Volkswagen, em parte desenhada pelo brasileiro Luiz Veiga: não por acaso, a traseira lembra bastante a perua SpaceFox

Jutta também avalia que o Tiguan traz ganhos de imagem à Volkswagen com seu avançado pacote tecnológico – entre eles a segunda geração do sistema Park Assist, que estaciona o carro automaticamente, sem interferência do motorista, em vagas laterais e agora também a 90 graus. “O carro é uma referência em tecnologia e isso favorece a imagem da marca como um todo”, diz.

A executiva aproveitou para divulgar o desempenho global e regional da Volkswagen nos primeiros oito meses de 2011, quando as vendas de todas as 10 marcas do grupo atingiram 5,3 milhões de unidades, em alta de 14% sobre 2010, conquistando participação mundial de 5,3% no período. “Nosso pedaço do bolo está maior hoje”, resumiu.

Isoladamente, as vendas de veículos da marca Volkswagen aumentaram 12% de janeiro a agosto, para 3,3 milhões de unidades. “Nunca vi antes a marca tão forte no mundo como agora”, comemorou. “Temos desempenho consistente em todos os mercados onde atuamos, inclusive no Brasil”, disse, destacando os 461 mil automóveis e comerciais leves vendidos aqui este ano até agosto, o que significou crescimento de 6% sobre o mesmo período de 2010. No País, entretanto, a participação de mercado da Volkswagen não cresceu, ficou parada em 21%, o que não chega a ser resultado ruim diante das perdas observadas pelas principais concorrentes.


Interior caprichado e desempenho garantido pelo motor 2.0 TSI turbinado, de 200 cavalos, com transmissão automática Tiptronic de seis velocidades, que leva o novo Tiguan a máxima de 207 km/h, com a segurança do controle de estabilidade eletrônico (ESP) e freios com ABS e assistência eletrônica de frenagem Brake Assist, que entende qualquer tipo de emergência e calibra a intensidade dos freios de acordo com a necessidade. Para o ambiente fora-de-estrada ele também vai bem com a tração 4Motion integral nas quatro rodas, que dosa a força na frente ou atrás automaticamente, conforme a aderência.



Tags: Volkswagen, Tiguan, importado, SUV, IPI.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência