Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 24/10/2011 | 23h16

Fecombustíveis alerta para problemas com biodiesel

Entidade repudia pressão por maior percentual do produto no diesel

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Automotive Business

Paulo Miranda Soares, presidente da Fecombustíveis, Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes, divulgou nota reafirmando apoio ao Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, mas alerta ser inoportuna e perigosa qualquer tentativa de elevar o percentual de mistura no diesel, sem que todos os problemas técnicos relacionados ao biocombustível estejam devidamente solucionados.

“O biodiesel comercializado no Brasil precisa de ajustes urgentes em sua especificação técnica, assim como é fundamental a revisão das normas de manuseio e armazenagem do produto. Tais revisões já estão em andamento. Infelizmente, vemos com bastante preocupação a pressão política que vem sendo exercida para reduzir o alcance dessas alterações, ao mesmo tempo em que se fortalece o lobby pelo aumento do percentual de mistura no diesel. O biodiesel do Brasil não tem a mesma qualidade do comercializado nos Estados Unidos, na Europa ou mesmo na Argentina e ainda é extremamente caro. A produção está demasiadamente concentrada na soja”, destaca Soares.

Segundo a Fecombustíveis, desde a introdução da adição obrigatória do biodiesel ao diesel em 2008, com percentual inicial de 2% (B2), postos de combustíveis em todo o Brasil vêm relatando casos de formação de borra, entupimento de filtros e necessidade de manutenções mais frequentes. Os problemas se agravaram a partir de janeiro de 2010, quando entrou em vigor o atual percentual de 5% (B5).

Segundo a entidade, somaram-se a essa situação as reclamações de clientes, que voltavam aos postos com laudos de oficinas e concessionárias, demandando ressarcimento por reparos em seus veículos, supostamente decorrentes da má qualidade do combustível.

Lobby

Miranda admite que o programa de produção e uso de biodiesel é um sucesso, mas para ele isso não quer dizer que não existam problemas graves que precisam ser resolvidos, antes de se pensar em qualquer nova elevação da mistura, sob o risco de afetar de forma irreparável a imagem do produto.

O dirigente manifesta preocupação com "o intenso lobby feito pelos produtores de biodiesel pela elevação do percentual de mistura no diesel, em meio ao argumento de que já há capacidade instalada suficiente para atender a uma demanda maior e dos supostos benefícios econômicos e ambientais para o país."



Tags: Fecombustíveis, biodiesel, B2, B5, diesel, Paulo Miranda Soares.

Comentários

  • Manfredo Rosa

    Não tenho propriamente comentários a apresentar mas sim pergunta. Agora, no início de 2013, como está a situação da solução dos problemas apontados pelo Presidente da Fecombustíveis? Existe algum estudo mais detalhado sobre o assunto? Obrigado Manfredo

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência