Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 26/10/2011 | 11h36

Ana Serra, da Nissan, se anima com a chegada do Versa

Gerente de marketing e produto não descarta montagem local nem futura opção 1.0 do sedã

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

Durante a programação de lançamento do Nissan Versa, Automotive Business conversou com a gerente de marketing e produto da companhia, Ana Serra. Depois de formar-se em jornalismo pela PUC de São Paulo, ela fez pós-graduação em marketing e seguiu essa carreira. Está há sete anos na Nissan, seis deles passados nos Estados Unidos. Falante, espontânea, ela se anima com as perspectivas para o novo carro.

Automotive Business – Já existe algo concreto sobre a montagem do Versa ao lado do March em Resende, RJ?

Ana Serra – Ainda não é certo, mas tudo é possível, até porque ele utiliza a mesma plataforma do March.

AB – Por que não trazer uma versão ainda mais simples, sem airbags e direção assistida, já que a intenção é vender? (o Versa começa em R$ 35.490 e traz direção elétrica e airbags para motorista e passageiro)

Ana Serra – Nós focamos os sedãs 1.6.

AB - Mas pode haver uma versão 1.0, assim como ocorre com March?

Ana Serra - Como disse, tudo é possível. Temos planos bastante agressivos para o carro.

AB – A Nissan já estaria desenvolvendo o carro com essa motorização?

Ana Serra – Não podemos falar sobre esse assunto (nesse momento, a expressão da executiva faz parecer que as possibilidades para o carro não se esgotam nas versões 1.6 apresentadas).

AB – O Renault Logan também está nesse segmento e vem tendo relativo sucesso. Teria havido alguma orientação por parte da direção do grupo (aliança Renault Nissan) para que o Versa não desse “cabeçada” com ele na briga pelos consumidores?

Ana Serra – Não, em momento nenhum. São empresas distintas e cada uma briga por seu mercado.

AB – Durante a apresentação do Versa vocês mostraram para nós um vídeo com consumidores pesquisados pela Nissan. Que carros eles tinham?

Ana Serra - Cinquenta por cento vêm de hatches como Gol e outros modelos 1.0, 1.6 e que tinham a intenção de partir para um sedã. Ouvimos também pessoas que já usam sedãs de entrada.

AB – O que eles desejavam para esse segmento? Que percepção eles tinham da marca Nissan? Ana Serra – Eles queriam mais acessórios, mais segurança, como airbags, por exemplo. Os consumidores imaginam que carro japonês é para gente rica. Até pouco tempo, a Nissan cobria 23% do mercado. Com o March ela passou a 65%. Agora com o Versa cobre 83% dos segmentos (a publicidade do carro traz o mote “Agora todo mundo pode ter um sedã japonês). AB – As suspensões e o motor do Versa foram adequados ao mercado brasileiro. Mas teve algum item de acabamento desenvolvido especificamente para o nosso mercado? Ana Serra – Não, o produto que havia era esse. É um carro global. Nas pesquisas para o Brasil, percebemos espaço para mais acessórios, mais segurança. AB - Durante essas pesquisas vocês mostraram o Versa para o consumidor? O que ele achou do desenho do carro? Ana Serra – A receptividade foi boa, embora a amostragem tenha sido pequena.



Tags: Nissan, Versa, March, Ana Serra, Renault, Logan.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência