Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 31/10/2011 | 20h30

Com Chrysler, lucro líquido Grupo Fiat avança 39%

Marca americana puxou resultado para € 112 milhões

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

O Grupo Fiat reportou lucro líquido de € 112 milhões no terceiro trimestre de 2011, com expansão de 39% sobre o registrado há um ano. Enquanto a montadora italiana teve desempenho estável, o resultado foi puxado todo pela Chrysler no primeiro trimestre completo desde a fusão, em julho. Descontando perdas financeiras, o lucro líquido poderia ter passado de € 300 milhões.

Entre janeiro e setembro, o lucro líquido saltou de € 69 milhões em 2010 para € 1,38 bilhão este ano. Desconsiderando a Chrysler e as operações financeiras feitas no período, o resultado teria ficado mais próximo do obtido no ano anterior, com € 78 milhões.

O faturamento avançou 107% no terceiro trimestre, com € 17,5 bilhões. Sem a Chrysler, o crescimento seria de apenas 4% no reajuste anual. A receita foi impulsionada pelas marcas de luxo do grupo e pela divisão de autopeças, a Magneti Marelli. No acumulado do ano, a companhia faturou € 39,9 bilhões e registrou expansão de 51% sobre o resultado do ano anterior. Excluindo a Chrysler, o resultado seria € 28 bilhões, com crescimento de 6%.

O lucro operacional do Grupo Fiat, que considera apenas a atividade industrial e comercial, sem interferências financeiras ou de impostos, chegou a € 794 milhões, com expressivo crescimento de 540%, também puxado pela Chrysler, que contribuiu com € 559 milhões. Sem a fusão, o grupo italiano teria anotado retração de € 19 milhões sobre o ano anterior. De janeiro a setembro, o resultado passou de € 2,62 bilhões, quase três vezes e meia o anotado do ano passado.

Automóveis

A divisão de veículos sofreu leve retração no faturamento, de 0,5%, para € 6,5 bilhões no terceiro trimestre do ano, com 460,4 mil automóveis e comerciais leves comercializados, queda de 4,3%. Entre as marcas da divisão, a Fiat foi a mais impactada pela desaceleração do mercado europeu.

As vendas avançaram 1,3% no acumulado dos primeiros nove meses do ano, com mais de 1,54 milhão de unidades comercializadas no mundo. Houve queda de 3,9% no emplacamento de automóveis da Fiat, compensado por expansão de 10,2% no segmento de comerciais leves. Entre janeiro e setembro, a divisão faturou € 21,08 bilhões, com crescimento de 1,7% na comparação com o ano anterior.

No Brasil as vendas do Grupo evoluíram 3,5% até setembro, com 580 mil unidades e liderança no mercado com participação de 22,2%.

Fiat Industrial

A Fiat Industrial, que inclui Iveco, Case New Holland e FPT Industrial, garantiu lucro líquido de € 204 milhões no terceiro trimestre, com alta de 87%. O resultado chegou a € 557 milhões no acumulado do ano, crescimento de 344%.

A companhia registrou lucro operacional de € 456 milhões, com alta de 127% na comparação anual. Nos nove primeiros meses do ano, o resultado chegou a € 1,23 bilhão, com expansão de 439%. O faturamento avançou 13,5% no ano, para € 17,4 bilhões, e 11,7% no terceiro trimestre, para € 5,8 bilhões.



Tags: Fiat, Chrysler, Iveco, Case New Holland, FPT, balanço.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência