Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 17/11/2011 | 21h10

Bahia quer 10% da produção de veículos leves

Estado traça plano para atrair montadoras e fornecedores

Pedro Kutney, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Pedro Kutney, AB
De Salvador


O governador baiano Jaques Wagner está empenhado em surfar na atual onda de investimentos do setor automotivo no Brasil. O objetivo é trazer para o Estado ao menos um décimo da produção de veículos leves até 2016, o que significa fabricar de 450 mil a 500 mil carros por ano – hoje o Estado responde por quase 6% do total de automóveis produzidos no País. “Os investimentos previstos para o setor nos próximos cinco anos beiram a casa de US$ 2,5 bilhões, incluindo-se nessa conta a ampliação e instalação de montadoras de automóveis, motocicletas e fabricantes de componentes”, comemora Wagner, que na última quarta-feira, 16, deu mais um passo nesse sentido, ao assinar o protocolo de intenções para a instalação da fábrica da JAC em Camaçari, em um investimento de R$ 900 milhões bancado em 80% pelo empresário Sergio Habib, do Grupo SHC, hoje importador da marca no Brasil (leia aqui).

A fábrica da Ford, já há dez anos em Camaçari, atualmente passa por um plano de expansão que deverá ampliar sua capacidade de 250 mil para 350 mil unidades/ano. Assim não deverá ser difícil para a Bahia atingir os 10% da produção nacional até 2014, pois a unidade da JAC/SHC abrirá as portas em 2014 com potencial inicial de 100 mil veículos/ano em dois turnos, com bastante espaço para crescer – tanto em mais um turno de trabalho como em terreno, pois a planta terá 150 mil metros quadrados em uma área de 5 milhões de metros quadrados.

Embora Wagner ainda não confirme, a intenção é ir além dos 10% da produção nacional caso suas gestões sejam bem-sucedidas. A fábrica da JAC veio sem os mesmos generosos incentivos tributários concedidos à Ford, mas o governador vem se reunindo frequentemente com integrantes do governo e já pediu à presidente Dilma Rousseff (leia aqui) a reabertura do regime que, entre outros benefícios, praticamente garante a isenção total de IPI para fábricas que quiserem se instalar no Nordeste.

Além dos incentivos, o governador também conta com o próprio crescimento do mercado nordestino e especialmente do baiano para atrair mais montadoras ao Estado, que hoje responde por um terço da atividade econômica do Nordeste. Habib calcula que somente a capital baiana, Salvador, em breve se tornará o terceiro maior mercado de veículos do País. “Hoje são vendidos 6,5 mil carros por mês na cidade, mas nos próximos anos esse número deverá subir para 14 mil, o mesmo volume do Rio de Janeiro e à frente de Belo Horizonte”, projeta o empresário.

O governo baiano também já dá como certo o anúncio, no próximo mês de dezembro, de um plano de flexibilização da nacionalização de peças e redução do IPI de carros importados para as montadoras que já se decidiram por investimentos em plantas no País. Segundo comunicado distribuído a jornalistas durante a cerimônia que confirmou a fábrica da JAC em Camaçari, “o esboço do regime automotivo já foi apresentado à presidente Dilma Rousseff pelo ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento), que obteve sua aprovação”. A ideia, de acordo com fontes próximas às negociações, é adotar prazos para o cumprimento de metas pré-estabelecidas para instalação de fábricas, operações industriais e nacionalização de componentes. Quem cumprir todos os objetivos receberia de volta o IPI recolhido a mais sobre veículos importados de fora do Mercosul e México.

Mais fornecedores a caminho da Bahia

De olho no movimento de expansão acelerada do setor automotivo na Bahia, alguns fornecedores de componentes e insumos já anunciaram investimentos no Estado. O governo baiano informa os seguintes investimentos:

● A gigante canadense Magna irá investir US$ 35 milhões para instalar em Camaçari uma planta da divisão Cosma, que produz sistemas de carroceria e chassis automotivos. A fábrica terá 21 mil m² e deve empregar 300 pessoas diretamente.

● A multinacional alemã Basf investirá US$ 800 milhões em uma planta no Polo Industrial de Camaçari para a produção em escala mundial de ácido acrílico, acrilato de butila e polímeros superabsorventes (SAP). Diversos desses insumos são utilizados pela indústria automotiva em resinas para plásticos de engenharia, tintas, ceras, polimentos, adesivos, revestimentos de cabos e fios e tubos para proteção de eletroeletrônicos, entre outros.

● A DurolineTec vai instalar na Bahia a primeira fábrica de fibra de carbono do Hemisfério Sul, ocupando área de 270 mil m2, com investimento de US$ 150 milhões no Polo Industrial de Camaçari para a produção de 17 mil toneladas/ano e mais 1,2 mil toneladas/ano de tecidos impregnados.

● O grupo Ítalo Lanfredi anunciou este ano investimentos de US$ 70 milhões para produzir peças fundidas e usinadas para a indústria automotiva em Camaçari. Será a primeira grande fundição voltada para o setor na Bahia, com capacidade para produzir 48 mil toneladas/ano a partir de 2013, quando entrar em operação.

Polo de pneus

Se ainda falta trazer mais fornecedores de diversos componentes para tornar a Bahia, de fato, um polo automotivo completo, ao menos o fornecimento de pneus parece garantido. Segundo o governo baiano, desde a instalação da Ford, o segmento já atraiu mais de US$ 900 milhões em investimentos, transformando a Bahia no maior produtor de pneus do País, com 40% dos volumes produzidos.

Em Camaçari estão localizadas grandes e modernas fábricas da Continental e Bridgestone/Firestone, inauguradas em 2006 e 2007, respectivamente. Já a Pirelli está desde 1986 em Feira de Santana. Por causa das três fábricas, a Columbian Chemicals, fornecedora da matéria-prima básica para a produção de pneus, também se instalou no Estado, em 2007, com investimento de US$ 75 milhões.



Tags: Nordeste, incentivos, Bahia, JAC, Grupo SHC, Ford, Camaçari, fábrica, investimento, Jacques Wagner.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência