Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Automóveis e Comerciais Leves | 29/11/2011 | 17h31

Brasil é estratégico para PSA, diz presidente

Philippe Varin revela os planos de crescimento no País

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Paulo Ricardo Braga, AB

Na palestra magna proferida durante o vigésimo primeiro congresso da Fenabrave, dia 24 de novembro em São Paulo, no Expo Center Norte, para o setor de distribuição, Philippe Varin explicou como pretende elevar a participação das marcas Peugeot e Citroën nas vendas locais de 5,2% a 7%, em conjunto, até 2015. O presidente do Grupo PSA confirmou investimento de R$ 3,7 bilhões para dobrar a capacidade da fábrica de Porto Real, no Rio de Janeiro, para 300 mil veículos e 400 mil motores por ano. A área construída vai crescer 40 mil metros quadrados e haverá um esforço importante para ampliação do parque dos fornecedores ao redor da fábrica.

Para atingir a meta serão lançados doze novos veículos, metade fabricada no Brasil e a outra metade em El Palomar, na Argentina. O hatch 308, substituto do 307 e primeiro da fila, faz a estreia no início de 2012. Virão a seguir dois veículos pequenos, dos quais um é conhecido, o hatch Peugeot 208. “Queremos a liderança nesse segmento premium”, afirmou, esclarecendo que não há modelos populares nos planos. “Serão todos produtos com bom valor agregado e maior rentabilidade, voltados para consumidores com renda e exigências crescentes”.

Varin aposta em solução para as dificuldades do bloco do euro, mas admite que a França e seus vizinhos terão obstáculos importantes no setor automotivo, com a estagnação dos mercados. Os chineses não desembarcaram na região, diante dos desafios ainda a vencer na área de qualidade e segurança. Em contrapartida, a China é seu grande alvo estratégico para o crescimento, junto com a América do Sul, onde Brasil e Argentina despertam interesse maior.

Haverá apenas duas plataformas na região para as duas marcas. A brasileira dará origem a veículos pequenos. A argentina será a base para os médios. “O segredo para a rentabilidade não é o volume total produzido por uma empresa automotiva, mas a escala representativa por plataforma”, explica. Assim, não seria necessário montar cinco ou seis milhões de unidades por ano para assegurar a sobrevivência, como quer Carlos Ghosn, presidente e CEO da Renault.

Varin não se entusiasma com o charme de híbridos e elétricos, que ganham destaque nos meios de comunicação. Para ele, não haverá avanço significativo enquanto não forem encontradas soluções para baterias eficientes e baratas. Daí a estimativa de que, até o fim da década, as vendas de elétricos puros e híbridos não devem superar 5% do mercado global. O Grupo PSA trabalha nessa área em parceria com a Mitsubishi, compartilhando o projeto do i-MiEV na criação do Peugeot iOn e do Citroën C-Zero. O grupo francês informa, ainda, o lançamento da primeira plataforma híbrida diesel elétrica em veículos leves.

Atualmente com 59 anos, casado e com quatro filhos, o executivo assumiu a presidência mundial do Grupo PSA Peugeot Citroën em junho de 2009, logo depois de promover a recuperação industrial e financeira do grupo siderúrgico anglo-holandês Corus, na época em dificuldades. Ele liderou a recuperação da empresa tanto no plano industrial quanto no financeiro e promoveu uma bem sucedida unificação com a Tata Steel. Engenheiro pela Ecole Polytechnique e Ecole des Mines, desenvolveu a carreira na Pechiney, da área de alumínio, onde permaneceu 21 anos a partir de 1978, quando se formou.

MOBILIDADE

Varin é um dos incentivadores do Institut pour la Ville en Mouvement, o IVM, que pretende estimular a reflexão sobre a cidade e a mobilidade. Criado em 2000 pelo Grupo PSA Peugeot Citroën, a entidade desenvolve projetos de pesquisa e ações no âmbito das mobilidades urbanas na Europa, América Latina e Ásia.

Ao realizar experiências em cidades que se encontram em plena mutação, o IVM contribui para criação de soluções inovadoras, entende a PSA, que estruturou projeto para explorar as orientações em matéria de mobilidade urbana em cidades como Pequim, Xangai, Buenos Aires, México, São Paulo, Rio de Janeiro e Paris. Em julho e agosto deste ano, o instituto promoveu em São Paulo, no Museu da Casa Brasileira, a exposição "A rua é de todos nós", que já havia sido apresentada no Rio de Janeiro em 2009.

Em colóquio promovido pelo IVM, Varin definiu que a autonomia e a emancipação não são mais um privilégio exclusivo do automóvel. "Incentivamos nossas equipes a deixar de lado seus hábitos para ajudar os veículos a encontrar um novo lugar na cidade e na sociedade", disse.



Tags: Peugeot, Citroën, 308, iOn, C-Zero, elétricos, híbridos, IVM.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência