Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Segurança | 22/12/2011 | 14h10

Ford quer melhorar seus carros para a terceira idade

Software desenvolvido em Cambridge simula catarata e outras doenças oculares

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


A metade superior da foto ao lado reproduz a visão normal e a inferior mostra o efeito do glaucoma, doença comum acima dos 50 anos.

Redação AB

A Ford se uniu à Universidade de Cambridge para compreender melhor problemas visuais decorrentes do envelhecimento. A equipe de Cambridge desenvolveu um simulador de diferentes deficiências visuais como glaucoma, catarata ou Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), todas com maior incidência a paritr dos 50 anos, e também daltonismo, que afeta o indivíduo desde o nascimento. A Ford tem utilizado o recurso para estudar e melhorar a leitura de informações dentro do carro.

“O sofware permite simular qualquer uma dessas deficiências. Você carrega uma imagem, seleciona uma das doenças e assim percebe com as pessoas com aquele problema a enxergariam”, disse Sam Waller, da Universidade de Cambridge, que desenvolveu o software.

“Mesmo no caso de degeneração macular, em que a perda da visão central acompanha o movimento do olho, o software simula esse efeito e permite que o usuário mova o “ponto cego” para ver seu efeito em diferentes partes da imagem”, afirma Waller.

O software possui um controle deslizante que permite mudar a gravidade da deficiência desde leve a muito grave. O software de Cambridge também tem sido usado para melhorar o desenho de celulares e para o ensino de design inclusivo em diversas universidades.

Com a idade, a capacidade de enxergar detalhes se deteriora, assim a visão noturna. Dessa forma, muitos motoristas podem ter dificuldade para ler o painel de instrumentos. Desde 1994, os engenheiros da Ford vem usando “simuladores da terceira idade” para entender melhor as dificuldades enfrentadas pelos motoristas mais velhos. Os recursos restringem a mobilidade, diminuem o tato e incluem óculos que imitam os efeitos da catarata.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 285 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de algum tipo de deficiência visual. Dessa população, cerca de 65% têm 50 anos e mais. Esse número tende a crescer com o aumento da expectativa de vida.



Tags: Ford, Universidade de Cambridge, catarata, glaucoma, Degeneração Macular Relacionada à Idade, DMRI, Sam Waller, ponto cego.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência