Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Automóveis e Comerciais Leves | 05/01/2012 | 18h42

Briga pelo mercado de veículos leves fica mais acirrada

Avanço de novos players diminui a concentração das vendas

Giovanna Riato, Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Giovanna Riato, AB

O ano passado foi de transformação para o mercado automotivo brasileiro. O aumento da renda da população mudou as preferências de consumo de veículos e os importados ganharam força. Estimulado por esse cenário, o mercado interno evidenciou uma mudança que, até então, acontecia lentamente: a pulverização das vendas diante da variedade cada vez maior de marcas.

As quatro maiores montadoras instaladas no Brasil (Fiat, Volkswagen, General Motors e Ford, em ordem de volume de vendas) chegaram a deter mais de 80% dos emplacamentos em passado recente. Em 2010 esse número já havia caído para 73,6%. Ao longo de 2011 todas as quatro registraram quedas de participação nas vendas, perderam significativos 3,62 pontos e viram o market share cair para 70%. Nessa movimentação no topo da tabela, quem mais perdeu espaço entre as quatro primeiras foi a General Motors, que entregou 1,3 pp e ficou com 18,4%. Logo atrás está a Ford, com menos 0,94 pp e 9,17% de participação, e a Fiat, com redução de 0,83 ponto, para 22%. A Volkswagen foi a única das quatro que conseguiu crescimento de volume, ainda que mínimo, de 0,15% no ano, mas seu share também recuou, em 0,56 pp, para 20,4%.

Entre as 10 marcas que mais vendem no Brasil (Fiat, Volkswagen, GM, Ford, Renault, Hyundai, Toyota, Honda, Citroën e Peugeot, nesta ordem), só quatro (Renault +21,2%, Hyundai +8,4%, Citroën +7,1% e VW +0,15%) tiveram crescimento sobre 2010, todas as outras registraram desempenho negativo. Em 2010 as dez marcas mais vendidas concentravam 93,7% dos emplacamentos. O porcentual foi reduzido em 3,9 pontos no ano passado, para 89,8%.

Afetada pelos problemas na matriz japonesa, a Honda viu as vendas despencarem 26,5%, teve perda expressiva de mercado, de 1,09 ponto, e caiu da sexta para a oitava posição no ranking, com 2,7% de share. Já a Toyota perdeu espaço menor, de 0,09 ponto, mas ainda assim ganhou uma posição e ficou em sétimo lugar, com 2,9% do mercado.

A Peugeot também anotou saldo negativo, com redução de 0,2 pp no market share, que passou para 2,51%. A marca trocou de lugar com a parceira Citroën, que teve um pequeno ganho de 0,1 ponto e assumiu a nona posição em vendas, com 2,63%.

Destaques

Enquanto as marcas mais tradicionais tentam se adaptar em um mercado com mais competição, outras montadoras ganham força. Quem mais conseguiu ganhar terreno em 2011 entre as 10 primeiras do ranking foi a Renault, que viu as suas vendas crescerem 21,2% ao longo do ano. A francesa abocanhou 0,8 pp de participação e chega mais perto da Ford, com 5,6% de market share. A Hyundai também conquistou bons resultados, com fatia do mercado 0,17 ponto maior, de 3,3%. Os emplacamentos da marca sul-coreana aceleraram 8,4%.

Já a Kia e a Nissan foram as que registraram os maiores crescimentos nas vendas, com consequente avanço em participação. A primeira ampliou os emplacamentos em 41,7%, para 77,1 mil unidades e abocanhou mais 0,6 ponto de market share, para 2,2%. A Nissan acelerou as vendas em 87,5%, com 67,2 mil veículos, e quase duplicou a participação de mercado, para 1,6%, graças especialmente ao lançamento de carros mais baratos, como o compacto March.

Mercado de veículos leves



Tags: veículos, mercado, venda, participação, market share.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência