Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 09/01/2012 | 18h15

Citroën quer 3% das vendas e lança DS3 e novo C3 em 2012

Marca fechou 2011 com 2,6% de participação

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

Após fechar 2011 com o recorde de 90.036 unidades emplacadas, crescimento de 7,11% sobre o volume do ano anterior e participação 2,6% no total das vendas de veículos leves no País, a Citroën mira agora em market share de 3% este ano, com expectativa vender mais de 100 mil automóveis e comerciais leves nos próximos 12 meses. Francesco Abbruzzesi, diretor geral da Citroën do Brasil, aponta dois fatores principais para atingir essa perspectiva: o lançamento de dois novos produtos e a expansão da rede de concessionárias para 185 pontos até dezembro – hoje são 162.

Os dois novos carros da Citroën no Brasil em 2012 devem ser o DS3 (foto) – que chega importado da França, ainda no primeiro semestre, para competir no bem-sucedido segmento de subcompactos premium, onde já estão por aqui o Mini, Smart e Fiat 500 – e o novo compacto C3, uma geração adiante do modelo fabricado no Brasil, que deve ser lançado no segundo semestre.

O lançamento do novo C3 requer mais cuidados, uma vez que o atual modelo, com boa relação custo-benefício, é o carro-chefe de vendas no País e principal responsável pelo bom resultado de 2011, com 37,6 mil unidades vendidas ao longo do ano passado, ou mais de um terço dos emplacamentos da marca. Por isso, segundo informações extraoficiais, a Citroën estuda manter o C3 atual em produção, como carro de entrada, mesmo após a introdução do sucessor.

“Mesmo não disputando o segmento dos populares, a Citroën vem mantendo suas taxas de crescimento nos últimos anos com a oferta de produtos que valorizam conteúdo e relação custo-benefício”, avaliou Abbruzzesi em nota. Para ele, além da boa colocação do C3 no mercado, o resultado positivo da Citroën no Brasil em 2011 também se deveu ao sucesso das minivans Aircross e C3 Picasso.

O Aircross, em seu primeiro ano inteiro de vendas (o modelo foi lançado no fim de 2010) emplacou 16.718 unidades de janeiro a dezembro. Já o C3 Picasso, que começou a ser vendido em maio passado, somou 4.709 emplacamentos em 2011.

Os negócios com modelos da gama superior da marca também foram bem. Foram vendidos 11.016 unidades do C4 Hatch e 7.251 do C4 Pallas. Entre os monovolumes, o velho Xsara Picasso somou 4.431 unidades licenciamentos, o C4 Picasso 4.397 e o Grand C4 Picasso 836. O C5, nas versões Sedan e Tourer, acumulou 568 vendas. E a linha de comerciais leves Jumper Minibus e Furgão vendeu 2.531 veículos.



Tags: Citroën, Francesco Abbruzzesi, DS3, C3, Aircross, C3 Picasso, C4, Xsara Picasso, C5, Jumper, mercado, desempenho.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência