Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 09/01/2012 | 20h55

Paccar/DAF lança pedra fundamental no Brasil

Fábrica de caminhões começa a produzir em 2013

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Foto: Mark Pigott (à esquerda), presidente mundial da Paccar, cumprimenta o governador do Paraná, Beto Richa, em frente a um caminhão extrapesado DAF XF, que será o primeiro a ser produzido na fábrica de Ponta Grossa a partir de 2013.

Redação AB

A Paccar realizou a cerimônia de assentamento da pedra fundamental de sua fábrica brasileira de caminhões DAF nesta segunda-feira, 9, marcando o início oficial da construção de sua primeira unidade industrial na América do Sul, na cidade de Ponta Grossa, no Paraná, em área de 500 hectares às margens da rodovia PR 151. Conforme adiantado pelo portal Automotive Business em agosto passado (leia aqui), está programado o investimento de US$ 200 milhões na nova planta, que começa a produzir entre maio e junho de 2013, com capacidade inicial de 10 mil veículos/ano.

“Consolidamos o Paraná como segundo polo automotivo nacional”, comemorou em seu discurso durante a cerimônia o governador Beto Richa. Segundo comunicado do governo estadual, o empreendimento deve gerar cerca de 500 novos empregos diretos na região conhecida como Campos Gerais. Richa afirmou que a instalação da Paccar em Ponta Grossa pode atrair outras 20 fábricas ao Estado: “Elas vão fornecer insumos e peças para atender a nova indústria, gerando milhares de postos de trabalho indiretos”, disse. O governador destacou que, a partir do programa de incentivos fiscais Paraná Competitivo, cerca de R$ 9 bilhões em novos investimentos já estão garantidos e outros R$ 15 bilhões estão em negociação para os próximos anos, com indústrias de diversos setores, incluindo outras montadoras de veículos leves e pesados, tecnologia da informação, papel e celulose, pneus, motocicletas, alimentos, farmacêuticas, biodiesel, petróleo e gás e reciclagem.

No caso da Paccar, o governo paranaense concedeu oito anos de diferimento para 90% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Significa que, durante esse período, a montadora pagará somente 10% do ICMS devido sobre os veículos produzidos em Ponta Grossa. “O Paraná conta hoje com uma política fiscal moderna, que permite ao governo analisar os casos individualmente, levando em conta as necessidades dos empresários e os interesses do Estado”, defendeu Ricardo Barros, secretário estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul. Segundo ele, investimentos em empreendimentos inovadores e em cidades do interior recebem mais benefícios do Estado.

PARQUE TECNOLÓGICO COM UNIVERSIDADES

Também presente ao evento, Mark Pigott, presidente mundial e principal acionista da americana Paccar, destacou que a empresa também pretende desenvolver mão de obra qualificada na região e deve fechar um convênio com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) para o desenvolvimento de cursos de educação continuada, nas áreas de engenharia e contabilidade, com o objetivo de qualificar futuros funcionários para a fábrica.

Segundo informações do jornal Gazeta do Povo, a fabricante de caminhões também deverá montar um laboratório de formação de mão de obra dentro do campus de Ponta Grossa da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Serão usados os laboratórios de fundição, solda e metrologia da instituição. A Paccar/DAF deverá precisar inicialmente de 150 engenheiros. “A existência de faculdades de engenharia na região pesou na decisão da empresa vir para o Paraná”, disse Luiz Alberto Pilatti, coordenador da UTFPR na cidade.

Pilatti informou também que o campus está modelando um parque tecnológico em área de 600 mil metros quadrados, inspirado nos modelos de São Carlos e Campinas, em São Paulo, que deve atrair entre 150 e 200 empresas.

FORNECEDORES

De acordo com a imprensa local, também estiveram presentes ao evento representantes de oito fornecedores já selecionados para a fábrica brasileira. “Dessas, pelo menos cinco vão precisar de novas fábricas para atender à demanda da Paccar no Brasil. Estamos otimistas com a vinda de fornecedores”, afirmou João Luiz Kovaleski, secretário de Indústria e Comércio de Ponta Grossa. Em outubro, Marco Antonio Davila, presidente da operação no Brasil, havia informado os principais fornecedores já definidos: ZF (transmissões), Meritor (eixos tratores), Suspensys (eixos de arrasto e direcionais), Automotiva Usiminas (cabine), Maxion e Metalsa (chassis).



Tags: Paccar, DAF, Ponta Grossa, Paraná, Beto Richa, Mark Pigott, fábrica, investimento, caminhões.

Comentários

  • Marco Antonio

    muito boas as materias sobre a PACCAR. Como posso saber mais sobre a empresa.

  • Aluisio Barbosa

    uma otima tarde gostaria de saber se já tem consercionaria progamada aqui para o RN

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência