Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 16/02/2012 | 15h22

Brasil, Rússia e Nissan salvam lucro da Renault em 2011

Companhia obteve ganho anual de € 2 bilhões

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Foto: Carlos Ghosn, presidente da Renault, comenta os resultados da companhia em 2011.

Redação AB

O Grupo Renault registrou lucro líquido em 2011 de € 2,09 bilhões, sustentado em larga medida pelos bons resultados fora da Europa, especialmente no Brasil e na Rússia, e pelos ganhos das empresas associadas a companhia francesa, principalmente a japonesa Nissan.

O resultado líquido apurado no ano passado é 39% menor do que o de 2010, de € 3,42 bilhões. Contudo, o lucro de 2011 é mais consistente, pois o ganho do ano anterior foi inflado por um evento extraordinário, a venda de ações “B” que a Renault tinha da Volvo AB, que sozinha rendeu € 2 bilhões.

“A Renault encarou diferentes crises durante o ano excedendo seu objetivo de fluxo de caixa para 2011. O crescimento de 19% nas vendas fora da Europa, notadamente no Brasil e na Rússia, ilustram o avanço internacional do grupo. Em 2012 esperamos que os negócios internacionais vão superar 43% do total, ao mesmo tempo em que deveremos nos manter como marca mais vendida na França e segunda na Europa”, avaliou Carlos Ghosn, presidente da Renault, durante a divulgação dos resultados da companhia na quinta-feira, 16.

SUPERAÇÃO DE IMPACTOS NEGATIVOS

O faturamento global do ano cresceu 9,4%, para € 42,6 bilhões, mas a margem operacional ficou praticamente estável em 2,6% (contra 2,8% em 2010), totalizando € 1,1 bilhão. A operação automotiva contribuiu com somente € 330 milhões do resultado, em queda de 16,6% sobre 2010. A maior parte da margem veio do braço financeiro da Renault, o RCI Banque, que apurou ganho de € 761 milhões, em alta de 8,2% ante o exercício anterior.

Segundo o informe financeiro da Renault, apesar do faturamento € 455 milhões maior e de economias de € 500 milhões, o resultado da operação automotiva foi negativamente afetado por alguns fatores combinados. O aumento do custo de matérias-primas no ano foi calculado em € 509 milhões extras, outros € 199 milhões foram perdidos por variações cambiais desvantajosas, enquanto preços de produtos em queda significaram € 245 milhões a menos no caixa. Além desses impactos, a contração no fornecimento de peças causada pelo terremoto e tsunami no Japão causou perda de produção com impacto negativo estimado em € 200 milhões no ano passado.

Apesar dos diversos impactos negativos, a companhia conseguiu exceder a meta de fluxo de caixa, que terminou o ano positivo em pouco mais de € 1 bilhão. Com isso, a Renault manteve capital de giro e investimentos em níveis adequados para sustentar a operação. A manutenção do caixa permitiu a redução da dívida líquida pelo terceiro ano consecutivo, para € 299 milhões, o menor nível histórico segundo a companhia, com queda de € 1,13 bilhão durante o ano.

CONTRIBUIÇÃO EXTERNA

A associação da Renault com outras empresas gerou ganho total no ano de € 1,5 bilhão, em alta de 18% sobre 2010, e assim salvou boa parte do lucro de 2011. A participação na Nissan, sozinha, rendeu € 1,33 bilhão, valor quase 23% maior do que o obtido no exercício anterior. Já a parte da Renault na Volvo AB resultou em € 136 milhões, em queda de 36,5%. A parceria com a russa Avto Vaz deu seu primeiro resultado positivo, de € 49 milhões, anulando em parte as perdas de € 21 milhões em 2010.

PERSPECTIVAS PARA 2012

Para este ano a Renault projeta expansão de 4% no mercado global de veículos leves. A expectativa é de crescimento nos países emergentes, 5% no Brasil e 8% na Rússia. Com cenário econômico incerto, a projeção é de queda nas vendas de automóveis de 3% a 4% na Europa, e de retração ainda maior na França, de 7% a 8%.

Os principais lançamentos previstos para 2012 incluem a quarta geração do compacto Clio, o Lodgy, o ZOE e a nova linha de motores Energy. A Renault também deverá introduzir uma nova identidade visual em seus modelos.



Tags: Renault, Nissan, resultado 2011, lucro, perspectiva 2012.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência