Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 12/03/2012 | 18h03

Marelli Mercosul confirma Maggioni no comando

Novo presidente é o sucessor de Virgílio Cerutti

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Foto: Dino Maggiono, novo presidente da Magneti Marelli para o Mercosul (foto de Mário Curcio)

Matéria atualizada dia 12 às 18h02

Redação AB

O engenheiro eletrônico Dino Maggioni, de 43 anos, italiano de Ivrea, província de Turim, assumiu o comando do grupo Magneti Marelli no Mercosul em 1º de março. Ele substitui Virgílio Cerutti, que deverá assumir nova posição na corporação.

O novo presidente atua no Grupo Magneti Marelli desde 2001, quando iniciou a trajetória na empresa como diretor de compras da divisão sistemas eletrônicos, na França, assumindo posteriormente o cargo de diretor da qualidade. Em 2005 foi nomeado diretor mundial de compras do Grupo e comandou a unificação da área, criando sinergias entre linhas de negócios e identificando oportunidades de ganho para a empresa -- experiência profissional adquirida em outras corporações internacionais de grande porte para as quais trabalhou anteriormente.

Desde setembro de 2007, Maggioni é responsável pela gestão da linha de negócios de aftermarket em todo o mundo e desenvolveu alianças estratégicas em diversos países, reforçando a posição da divisão que abastece o mercado de reposição na Europa, Mercosul e Estados Unidos. Sob sua coordenação estão todas as unidades da Magneti Marelli instaladas no Brasil, mercado considerado fundamental em faturamento e número de colaboradores, além das duas unidades localizadas na Argentina.

“A Magneti Marelli já possui potencial enorme e amplo de soluções e tecnologias voltadas ao Mercosul. Mas podemos usar com inteligência a experiência de outros mercados para avançar. Eficiência, qualidade, inovação, imagem e velocidade de ação também estão entre os desafios. Daqui a alguns anos, quero olhar para trás e ver o percurso que fizemos até a posição de liderança que certamente alcançaremos. Esse é meu empenho”, declarou Dino Maggioni.

Em entrevista especial a Automotive Business, em abril de 2011, Maggione revelou a nova parceria da Marelli com a Mopar, uma gigante americana na distribuição de autopeças, abrindo as portas do mercado para a companhia italiana nos Estados Unidos(leia aqui).

Na ocasião, ele disse ao jornalista Mário Curcio, de Automotive Business, que o Brasil respondia por 50% do aftermarket da Magneti Marelli em todo o mundo e projetava que os Estados Unidos seriam o segundo ou terceiro maior mercado para os produtos da companhia em cerca de cinco anos.

A MUDANÇA QUE NÃO ACONTECEU

No fim de setembro do ano passado, o engenheiro saudita Khalid Qalam chegou a ser anunciado para ocupar a posição de comando no Mercosul. Cerutti deixaria a operação para assumir responsabilidades globais no desenvolvimento de novos negócios e as divisões suspensões e módulos e componentes plásticos. Logo depois, no entanto, alegando questões pessoais, Qalam desistiu de vir para o Brasil. Ele está na Marelli desde 1997 e para assumir a presidência da empresa na região, o executivo deixaria o comando da divisão de iluminação automotiva.

OPERAÇÃO BRASILEIRA

A Magneti Marelli é uma das maiores fabricantes de sistemas e componentes automotivos do mundo e está presente no Brasil desde 1978, contando com 8,5 mil colaboradores para a produção de amortecedores, sistemas de injeção eletrônica e escapamentos, faróis, painéis de instrumentos, telemática, navegadores GPS, lanternas, sistemas de suspensão e módulos e componentes plásticos. Dona de marcas como Cofap e Automotive Lighting, possui no País 11 unidades produtivas e cinco centros de Pesquisa e Desenvolvimento, localizados em Minas Gerais (Contagem, Itaúna, Lavras) e São Paulo (Amparo, Hortolândia, Mauá e Santo André), além de escritórios regionais de vendas em algumas das principais capitais brasileiras (Curitiba, Goiânia, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo).

A receita da empresa no País cresceu 6,5% em 2011, para R$ 2,76 bilhões.



Tags: Magneti Marelli, eletrônica, autopeças, Mopar.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência