Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Política e Legislação | 14/03/2012 | 12h19

Governo pode desonerar folha de pagamento de mais cinco setores

Mantega fala em incentivar indústria

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na terça-feira, 13, durante a audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), que o governo ampliará a desoneração da folha de pagamento para cinco setores da indústria brasileira.

“Vamos nos reunir com cinco novos setores e em breve faremos o anúncio. Também vamos reduzir a alíquota de contribuição sobre o faturamento”, disse Mantega sem citar os segmentos a serem beneficiados.

O ministro reforçou que a desoneração da folha é uma das prioridades do governo porque em todo o mundo há uma redução no custo do trabalho. “Na China é assim, nos Estados Unidos também e os europeus estão fazendo o mesmo”, citou. No ano passado, o governo desonerou a folha de pagamento dos setores de softwares, móveis, calçados, e confecções, além de zerar a contribuição patronal do INSS, que é de 20%. Em contrapartida, foi criada uma contribuição sobre o faturamento com uma alíquota a partir de 1,5%. As medidas integram o programa Brasil Maior, lançado no ano passado pelo governo como forma de incentivar as atividades industriais no País.

Mantega também afirmou que o governo está atento aos efeitos da crise no setor. “Não vamos abandonar a indústria e ficar dependente só de commodities agrícolas”. Durante a apresentação, o ministro destacou que a crise internacional persiste e não foi solucionada, mas, mesmo assim, o Brasil tem condições de continuar enfrentando as turbulências, pois tem adotado medidas para enfrentar as condições adversas da economia.

“Foi complicado em 2011. Tivemos que enfrentar a inflação e a crise. Mas o crescimento da economia (2,7% em 2011) foi satisfatório e se deu com a elevação do nível do emprego. Nesse quesito, a população está sendo bem atendida”, disse. Para o ministro, diante da crise, o Brasil continua sendo um dos poucos países com o privilégio de crescer gerando empregos e elevando a massa salarial.

O ministro defendeu a política fiscal do governo com o controle dos gastos públicos e a manutenção da meta fiscal acima de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) como forma de enfrentar a crise. Mantega assegurou o compromisso do governo em controlar a inflação e de manter a taxa básica de juros (Selic) em apenas um dígito. “O Brasil caminha para ter taxa de juros em patamares que poderemos dizer, assim, normais, de um dígito.”

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) acelerou o ritmo de redução da Selic em 0,75 ponto porcentual e a taxa passou de 10,5% para 9,75% ao ano (leia aqui).

Com informações da Agência Brasil.



Tags: Brasil Maior, indústria, desoneração, Guido Mantega, Ministério da Fazenda, alíquota.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência