Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Elétricos e híbridos | 20/03/2012 | 13h12

Eletrificação veicular ameaça competitividade da indústria, alerta Volvo Car

Para o presidente da companhia, faltam incentivos para que as metas europeias sejam cumpridas

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

Durante um seminário da indústria automotiva em Bruxelas, Bélgica, o presidente da Volvo Car, Stefan Jacoby, advertiu que as metas europeias de redução das emissões de CO2 dos veículos podem prejudicar a competitividade da indústria. O executivo afirma que há forte pressão para a aceleração do processo de eletrificação veicular. O movimento, no entanto, não é acompanhado pelo aumento dos incentivos para viabilizar a chegada dos modelos ao mercado. Combinados, esses dois fatores podem ameaçar a liderança tecnológica da região.

A Comissão Europeia definiu que o setor de transportes corte em 60% a emissão de gases do efeito estufa até 2050. Outra meta é que o uso de carros a combustão em áreas urbanas seja reduzido pela metade até 2030 e totalmente eliminado em 2050. Jacoby avalia que os objetivos são irreais, já que a queda dos custos de desenvolvimento do trem de força elétrico não acompanha o ritmo do programa europeu.

Para o executivo, as empresas não podem dar um salto tecnológico sem que os novos carros sejam acessíveis para uma parcela significativa dos consumidores. A questão, segundo ele, se agravou com a crise. A retração da economia impede que os governos ampliem os investimentos no programa de eletrificação veicular. Enquanto isso, a China anunciou a liberação de US$ 15 bilhões para subsidiar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias para a evolução do powertrain elétrico.

O presidente da Volvo Car ressalta que o avanço dos carros com a tecnologia envolve diversos setores. “É preciso que exista cooperação entre a indústria automotiva, governos, instituições de pesquisa científica e fornecedores de infraestrutura e de energia elétrica”, avalia. Sem isso, a projeção da Comissão Europeia não deve se concretizar. O grupo acredita que os veículos elétricos e híbridos terão participação de 3% a 4% no mercado da região em 2020. “Levando em conta a situação atual, a expectativa é que a presença destes modelos dificilmente supere 1% neste período”, prevê.

MOTOR A COMBUSTÃO

Enquanto o cenário não é viável para a expansão das vendas de carros elétricos, os modelos a combustão podem ganhar tecnologia. “É muito cedo para abrir mão dos propulsores a gasolina e a diesel. Eles estão passando por um aumento contínuo de eficiência”, defende Jacoby. Nos últimos dois anos a Volvo Car reduziu em 13% as emissões de dióxido de carbono da sua linha de motores a combustão.



Tags: Volvo Car, carro elétrico, eletrificação, veículo, veicular, Europa.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência