Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 18/04/2012 | 18h03

Ford vai ampliar pesquisa e uso de materiais alternativos

Até papel-moeda está entre os itens reaproveitáveis

Automotive Business

Redação AB

A Ford vai ampliar as pesquisas e utilização de novos materiais para substituir derivados de petróleo nas peças de seus veículos. Os insumos investigados incluem celulose, cana-de-açúcar, dente-de-leão, milho, fibra de coco e até papel-moeda recolhido. Na linha de produtos globais da marca, o novo Fusion (foto) vai utilizar o equivalente a duas calças jeans transformadas em material isolante para atenuar os ruídos de rodagem, do vento e do motor.

Atualmente, todos os carros produzidos pela Ford na América do Sul utilizam 5 a 7 quilos de garrafas plásticas recicladas na forma de carpetes, forro de teto, caixas de roda e mantas acústicas. O painel dos novos caminhões Cargo é feito com fibra natural de sisal. Na América do Norte, todo carro Ford usa espuma à base de soja nos bancos. O utilitário Escape utiliza o kenaf, um tipo de algodão, aplicado nos apoios das portas, além de 4,5 quilos de algodão reciclado de calças jeans, camisetas e outras peças de vestuário no painel. Cerca de 25 garrafas plásticas também são usadas na produção dos carpetes do modelo.

O Focus Electric usa materiais à base de fibra de madeira nas portas e garrafas plásticas recicladas no tecido dos bancos. O Flex utiliza palha de trigo nos porta-objetos. Já o Taurus SHO aplica um tipo de camurça produzido com fios 100% reciclados. Segundo a fabricante, o reaproveitamento de materiais é uma opção atraente de negócio. A empresa trabalha com colaboradores de empresas químicas, universidades e fornecedores para desenvolver materiais alternativos capazes de substituir ao máximo os cerca de 136 quilos de plástico usados em um veículo.

No começo dos anos 2000, quando a Ford começou a investir forte na pesquisa de materiais sustentáveis, o petróleo custava US$ 16,65 o barril. Este ano, seu preço chegou a US$ 109,77. Outro atrativo dos novos materiais pesquisados é a abundância. Como exemplo, cerca de 3,5 toneladas a 4,5 toneladas de papel-moeda são retiradas diariamente de circulação nos Estados Unidos.

SOJA COMO MATÉRIA-PRIMA

A soja pode ser considerada o primeiro passo no uso de materiais sustentáveis na montadora. Henry Ford, seu fundador, apresentou em 1941 o protótipo Soybean Car, com carroceria feita de composto plástico com fibra de soja, sisal, cânhamo e palha de trigo. O “Carro de Soja” era 450 quilos mais leve que o de aço estampado e dez vezes mais resistente. Na sua demonstração, Henry Ford usou uma marreta para provar essa qualidade.

O projeto atual de uso da soja começou há dez anos, quando um grupo de fazendeiros se aproximou da Ford buscando novos usos para as colheitas abundantes do meio-oeste americano. Os pesquisadores da Ford se desafiaram a desenvolver espumas a partir da soja que atendessem os requisitos de desempenho e durabilidade.



Tags: Ford, derivados de petróleo, celulose, cana-de-açúcar, dente-de-leão, milho, fibra de coco e até papel-moeda, carpetes, kenaf, Escape, Taurus, Flex, soja, Henry Ford.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência