Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 18/04/2012 | 18h03

AGC Vidros investe R$ 800 milhões em sua primeira fábrica no Brasil

Companhia quer 30% das encomendas de vidros das montadoras

Giovanna Riato, Automotive Business

Giovanna Riato, AB

A AGC Vidros lançou quarta-feira, 18, a pedra fundamental da sua primeira fábrica no Brasil, que começa a operar no segundo semestre de 2013 em Guaratinguetá, no interior de São Paulo. A cerimônia contou com a presença do presidente do grupo japonês, Kazuhiko Ishimura, e do presidente da companhia para o Brasil, o executivo italiano Davide Capellino. Com investimento de R$ 800 milhões, a empresa fornecerá vidros para o setor automotivo e de construção civil.

Até 2016 o projeto prevê capacidade produtiva de 500 mil conjuntos por ano, incluindo para-brisas, vidros laterais e traseiros para automóveis. Capellino afirma que o objetivo é fornecer 30% das encomendas de vidros das montadoras no País, uma participação equivalente a que a companhia detém no mercado internacional. “Estamos em contato com todas as fabricantes de veículos e já temos contratos fechados”, revela, sem revelar quais. Normalmente, o fornecimento de vidros representa um gargalo ao crescimento da produção automotiva no Brasil, pois existem poucos fornecedores e aumentos de capacidade requerem grandes investimentos. Nesse sentido, a AGC poderá aproveitar a expansão das fábricas.

A estratégia é começar com o fornecimento para as montadoras e depois desenvolver produtos específicos para o segmento de reposição automotiva. A empresa pretende investir na qualidade do atendimento para ganhar mercado. Outro diferencial deve ser a oferta de produtos inovadores, que agregam tecnologia ao veículo. Um exemplo é um para-brisa especial que reduz em um terço a transferência de calor para o habitáculo.

“O setor automotivo está em processo de mudança no Brasil. Estamos prontos para muitos desafios técnicos de design e de eficiência energética”, afirma Capellino, que garante estar empenhado no desenvolvimento de fornecedores e parceiros locais. O novo regime automotivo, anunciado no início de abril, também poderá ser um impulso para os negócios da empresa. O pacote de medidas de estímulo incentiva as montadoras a comprar mais componentes localmente e a investir em inovação.

EXPANSÃO EM EMERGENTES

A construção da primeira unidade na América do Sul integra a estratégia da AGC para ampliar os negócios em mercados emergentes. Atualmente, a maior parte do faturamento está na Ásia. Em seguida vem América do Norte e Europa. O objetivo é que, em 2020, as economias em ascensão tenham participação de 30% nas vendas globais do grupo. A intenção é reforçar a presença na China, Índia e Rússia, onde a organização já está, e fazer uma ofensiva em outras regiões. Outra meta é que 30% do total comercializado seja de produtos com apelo sustentável.

Inicialmente a produção nacional da AGC abastecerá apenas o mercado interno, mas há folga para ampliar os volumes. Capellino aponta que o terreno adquirido pela companhia tem quase 1 milhão de metros quadrados e terá apenas 100 mil metros quadrados de área construída. “Não temos limitações ao nosso crescimento”, afirma.



Tags: AGC Vidros, vidros, fábrica, investimento, Guaratinguetá.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência