Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Motociclos | 18/04/2012 | 23h41

Venda de motos recua 11% na primeira metade de abril

Semana Santa e restrição ao crédito explicam redução; acumulado ainda é bom

Mário Curcio, AB

Mário Curcio, AB

A primeira quinzena de abril teve 74.879 motocicletas emplacadas, queda de 11% na comparação com a metade inicial de março. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionárias. A redução pode ser explicada pela Semana Santa e pela maior dificuldade de financiamento em razão do crescimento da inadimplência.

Contudo, o acumulado do ano revela 517.385 emplacamentos, praticamente a mesma quantidade de motos novas lacradas até o meio de abril de 2011 (517.841 unidades, diferença de 456 unidades). Vale lembrar que o ano passado foi o melhor de todos para o setor de duas rodas, com 1.940.564 motocicletas zero-quilômetro chegando às ruas.

Previsões da Fenabrave estimam crescimento de 7,4% para as motos em 2012. O setor vem tendo lançamentos, o que pode favorecer tais estimativas. Somente a Dafra apresentou três modelos no primeiro trimestre, um de 150 cc e outros dois de 250 cc. A líder Honda mostrará até o fim deste mês mais dois produtos.

No acumulado do ano, a maior fabricante de motos do País teve 410.676 unidades emplacadas. A Honda detém sozinha 79,37% do mercado. Chama a atenção uma nova briga entre fabricantes, distante do topo. A marca Flash (criada em 2011 pela Kasinski para vender seus produtos em magazines do Norte, Nordeste e Centro-Oeste) já ocupa o oitavo lugar em vendas e supera a Traxx, presente no Brasil há dez anos.



Tags: Fenabrave, Semana Santa, emplacamentos, motos, motocicletas, duas rodas, Dafra, Honda, Kasinski, Flash, magazines.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência