Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 26/04/2012 | 17h10

Chrysler e América Latina salvam resultado da Fiat

Lucro líquido cresce 924% no 1º trimestre

Redação AB

As vendas em alta da Chrysler nos Estados Unidos e desempenho sustentável na América Latina salvaram o balanço do Grupo Fiat no primeiro trimestre do ano, divulgado pela companhia nesta quinta-feira, 26. O lucro líquido apurado no período foi de € 379 milhões, valor 924% maior do que o obtido no mesmo intervalo de 2011 (€ 37 milhões). Sem considerar a Chrysler, o grupo teria reportado prejuízo de € 273 milhões. O faturamento chegou a € 20,2 bilhões, mais do que o dobro dos € 9,2 bilhões dos três primeiros meses do ano passado.

O lucro operacional de € 866 milhões, apurado a partir da atividade principal da empresa (antes de impostos), é 245% mais alto do que no primeiro trimestre de 2011. Em sua composição, o resultado mostra claramente que o desempenho da Chrysler e da Fiat na América Latina compensaram em larga medida a queda das vendas na Europa. A maior porção do ganho operacional, € 670 milhões (77% do total), veio justamente da América do Norte, onde a Chrysler opera praticamente sozinha. A América Latina, com Brasil à frente, contribuiu com € 235 milhões (27%). Da Ásia/Pacífico vieram € 77 milhões (9%). Enquanto isso, Europa, Oriente Médio e África apresentaram prejuízo de € 207 milhões.

Outra contribuição positiva veio da divisão de marcas de luxo e alta performance, Ferrari e Maserati, que registrou lucro operacional de € 71 milhões, enquanto as unidades de componentes Magneti Marelli, Teksid e Comau tiveram ganhos somados de € 36 milhões.

Depois de assumir o controle da Chrysler, no ano passado, o Grupo Fiat ganhou participação importante no segundo maior mercado do mundo, a América do Norte. Com isso, em unidades, as vendas no primeiro trimestre de 2012 quase chegaram à marca de 1 milhão de veículos. Foram vendidos no mundo todo pelo grupo 974 mil carros, dos quais 418 mil só nos Estados Unidos, e 519 mil incluindo México e Canadá na conta do Nafta.

A dívida industrial do grupo alcançou € 5,8 bilhões no fim do primeiro trimestre, com leve crescimento ante os € 5,5 bilhões registrados em 31 de dezembro de 2011. O caixa líquido somava € 21,4 bilhões ao término de março, incluindo a captação de € 1,2 bilhão em bônus emitidos e linhas de crédito não utilizadas que totalizavam € 2,9 bilhões.



Tags: Fiat, Chrysler, resultado, balanço, lucro.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência