Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 04/05/2012 | 00h54

Takata abre as portas de filial no Uruguai

Planta complementará produção brasileira

Sueli Reis, AB
De Montevidéu, Uruguai

Passado um ano após o assentamento da pedra fundamental de sua fábrica no Uruguai, realizado em abril de 2011, a Takata inicia as operações da planta que consumiu investimento equivalente a US$ 12 milhões, em terreno, edifício e maquinário, e que complementará a produção brasileira de sistemas de airbag, fabricando as bolsas do conjunto que será montado em Jundiaí (SP), onde também produz volantes e cintos de segurança. A empresa abriu oficialmente as portas de sua nova unidade na América do Sul na quinta-feira, 3, mas desde novembro que a linha funciona. A cerimônia contou com a participação do presidente e COO da Takata Corporation, Shigehisa Takada, do presidente para a América do Sul, Shigeru Otake, do vice-presidente, Airton Evangelista, além da presença do presidente do Uruguai, Jose Mujica, e de outros representantes do governo local.

Terminados os testes de qualidade, a produção comercial começou em fevereiro e o primeiro lote com 5 mil unidades desembarcou no Brasil em março. O fornecimento de bolsas é a primeira fase da produção uruguaia, afirma o presidente da Takata para América do Sul, Shigeru Otake. Segundo o executivo, o plano é incluir a montagem de todo o sistema de airbag para abastecer as montadoras instaladas no Brasil e na Argentina. Contudo, esta segunda fase ainda não tem data definida para começar. “A planta do Uruguai tem condições de receber a produção completa do airbag, mas dependemos da demanda do mercado”, explica. A expectativa do executivo é de que em 2012 a nova linha entregue 1,2 milhão de bolsas, um quinto de sua capacidade total, de 6 milhões de unidades por ano. Além do Uruguai, a Takata produz bolsas de airbag na Romênia (de onde importa o tecido para confecção do produto uruguaio), China, Tailândia, Filipinas e México.

A escolha pelo Uruguai está ligada diretamente ao custo de produção. Segundo os cálculos da empresa, com o custo Brasil atual, a importação compensava mais do que a produção local. O resultado levou a companhia a considerar outros membros do Mercosul. No Uruguai, a Takata obteve incentivos fiscais como parte do plano do país em atrair mais empresas do setor automotivo e aumentar a oferta de empregos. Os principais estímulos incluem o menor custo de mão de obra e isenção do imposto de importação do tecido usado na fabricação da bolsa, alíquota que no Brasil chega a 26%. A Argentina também entrou no páreo para receber a nova planta, mas foi descartada por causa dos problemas políticos.

Contudo, Otake revela que a falta de tradição industrial do Uruguai é uma das principais dificuldades enfrentadas pelo setor: “Fabricar um produto de segurança exige qualidade de componentes e de equipe e o processo de treinamento requer tempo”, disse. A Takata Uruguai começou suas atividades com 50 funcionários, o que deve chegar a 120 até o fim deste ano. Em 2014, a empresa espera contratar 400 pessoas.

Até lá, o mercado de airbags no Brasil deverá estar em 10 milhões de unidades, estima Otake, cujo plano é manter o mesmo índice de participação do mercado, hoje em 50%. O executivo acrescenta que a produção uruguaia será responsável pelo abastecimento de bolsas de airbags de toda a região da América do Sul, incluindo o México, que também produz airbags.



Tags: Takata, airbag, cinto de segurança, volante, Uruguai.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência