Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Tudo junto e misturado: Fiat relança Siena EL, Palio Weekend e Strada de uma só vez
Siena EL, Strada e Weekend ganham novo visual e mais sofisticação

Lançamentos | 14/06/2012 | 02h45

Tudo junto e misturado: Fiat relança Siena EL, Palio Weekend e Strada de uma só vez

Empresa investe R$ 400 milhões para renovar parte de seu portfólio de modelos compactos

PEDRO KUTNEY, AB | De Recife (PE)

Texto atualizado em 14/6/2012 às 12h30

Depois de lançar o Novo Uno em 2010 e a quinta geração do Palio em 2011, a Fiat decidiu fazer de uma só vez a renovação da parte que ainda faltava de seu portfólio de compactos, ao apresentar na quarta-feira, 13, versões repaginadas do sedã Siena EL, da perua Palio Weekend e da picape Strada – incluindo também as linhas Adventure dos dois últimos, que têm interior e exterior distintos. “São referências em seus segmentos e representam parte significativa da força comercial da Fiat”, justificou o presidente da empresa para a América Latina, Cledorvino Belini. Ele destacou que já foram vendidos 4,7 milhões de unidades dos três modelos. Para renovar todas as 15 versões atuais deles, a Fiat investiu R$ 400 milhões – parte do programa de R$ 10 bilhões de 2011 a 2014.

A Fiat também aproveitou para marcar território em sua próxima “casa industrial” no País: Pernambuco, que abrigará sua nova fábrica no País. “Em Goiana, na Zona da Mata Norte do Estado, nascerá um novo polo automotivo no qual a Fiat é o vetor estruturante”, lembrou Belini. “O Nordeste é um mercado cada vez mais importante, com 53 milhões de habitantes e PIB de US$ 250 bilhões, o que equivale a um país que teria a quarta maior economia da América do Sul”, ressaltou. Por isso mesmo, quando começar a produzir em Goiana, em 2014, a Fiat irá renovar outra parte importante de seu portfólio com um produto que deverá substituir o antigo Mille, de olho nos consumidores emergentes dessa região do Brasil.

Enquanto isso não acontece, a Fiat começa a construir sua imagem em Pernambuco, “com produtos criados pela inteligência nacional”, conforme destacou o governador Eduardo Campos, ao se referir aos três produtos lançados pela marca no Estado. “A Fiat teve a coragem de vir para Minas Gerais em um momento que nenhuma outra empresa se interessava e agora repete essa ousadia ao vir para Pernambuco”, comparou Campos.

ESTRATÉGIA

Os três modelos têm importância estratégica para a manutenção da liderança da Fiat no mercado brasileiro, pois são opções complementares aos seus carros de maior volume, caso do Uno e Palio. Siena e Palio Weekend representam 8,4% das vendas da Fiat no País e ajudam a manter a marca no topo do segmento de automóveis, no qual tem participação de 21,8%. Já a Strada é diretamente responsável pelo primeiro lugar em emplacamentos de comerciais leves, com fatia de 23,6%. No topo desse ranking há 12 anos seguidos, a Strada detém 47,7% das vendas de picapes compactas, que representam 35% dos licenciamentos de veículos utilitários.

Com a chegada das novas versões, executivos da Fiat estimam que as vendas do conjunto todo cresçam cerca de 10%, algo como 2 mil unidades/mês a mais. Siena e Palio Weekend, que hoje vendem perto de 3,5 mil/mês (cada modelo), passariam ao patamar de 4 mil a 4,5 mil/mês. Já a Strada saltaria de 11 mil para 12 mil/mês. “Foi um desafio renovar todos de uma vez, mas com isso esperamos ganhar mais mercado, pois dessa forma eliminamos o adiamento da compra pelo consumidor que, normalmente, sempre espera pela próxima geração de produtos quando um só elemento da família é renovado”, explica Edison Mazzucato, diretor de marketing de produto.

A estratégia empregada pela Fiat para manter a liderança no País é ser líder nos segmentos de maior volume. Para continuar assim, a marca vem agregando mais valor a cada geração que renova, com remodelação constante de design (externo e interno) e inclusão de equipamentos sem mexer substancialmente no preço dos produtos. Com os três agora relançados a tendência é a mesma.

Siena EL, Strada e Weekend tiveram o design alinhados à nova identidade visual chamada de “Family Feeling Fiat”, uma forma de tornar todos os carros facilmente reconhecíveis pelo consumidor. Parte marcante dessa identidade está no “bigodinho” cromado com o círculo vermelho no centro que abriga a marca Fiat, instalado na grade dianteira, que começou a ser usado no novo Palio e agora está presente também nos outros três modelos da mesma família – a exceção é a versão de entrada da Strada, a Working, que manteve o mesmo desenho anterior da grade dianteira.

RETOQUES DE SOFISTICAÇÃO


O painel e volante da nova família passaram por mudanças significativas e têm duas versões, uma para a linha Adventure (à esquerda) e outra para as demais versões (à direita).

O interior dos modelos abriga as mudanças mais significativas da linha. “A ideia foi oferecer maior sofisticação e exclusividade, com possibilidade de várias configurações de painel, volante e tecidos dos bancos”, explica Claudio Demaria, diretor de desenvolvimento de produto da Fiat América Latina. “Os carros foram 100% desenhados e desenvolvidos no Centro de Estilo em Betim. Essa é uma grande vantagem, pois ficamos mais próximos dos clientes e podemos projetar os produtos que eles desejam”, complementa.

Como vêm sendo exaustivamente dito em todos os lançamentos da Fiat há mais de dois anos, esse consumidor “quer mais”, por isso o desafio é agregar valor sem subir demais o preço. “Todos os carros ganharam mais equipamentos, sofisticação e funcionalidades”, garante Demaria. Entre esses incrementos, por exemplo, estão acionamento elétrico de travas e vidros, direção assistida e computador de bordo. Airbags frontais e freios com ABS agora são de série na Strada e Weekend Adventure – já em cumprimento à legislação, que prevê a obrigatoriedade de instalação desses equipamentos de segurança ativa em 60% dos veículos fabricados em 2013 e em 100% a partir de 2014.

Desta vez, no entanto, não houve mudanças de plataforma, como aconteceu com o novo Palio e Grand Siena, que cresceram para todos os lados. No caso dos novos Siena EL, Palio Weekend e Strada, as dimensões e powertrain continuam os mesmos de antes.

Mazzucato calcula que os equipamentos agregados como de série às novas versões topo de linha, anteriormente comprados como opcionais, custariam de R$ 1,9 mil a R$ 2 mil, mas a Fiat só acrescentou ao preço final a metade desses valores.

O Siena EL, menor do que o expandido Grand Siena lançado em abril passado, passa a ser o sedã de entrada da Fiat e substitui a versão Fire. O preço já tinha caído R$ 2.850 há dois meses e agora começa em R$ 28.150 para o modelo com motor 1.0. Com motorização 1.4 o valor sobe para R$ 30.970.

A Palio Weekend será vendida em quatro versões básicas: Attractive 1.4 (R$ 41.490), Trekking 1.6 (R$ 43.360), Adventure 1.8 (R$ 51.510) e Adventure Dualogic 1.8 (R$ 53.390) com câmbio automatizado.

Já a nova Strada tem nove versões básicas (Working, Trekking e Adventure), com três motorizações (1.4, 1.6 e 1.8, respectivamente) e três tipos de cabine (simples, estendida e dupla). A mais barata, 1.4 Working cabine simples, começa por R$ 31.490. A mais cara, 1.8 Adventure Dualogic cabine dupla com câmbio automatizado, parte de R$ 54.060.



Tags: Fiat, Palio Weekend, Strada, Siena EL.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência