Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
GM: Mantega lava as mãos sobre demissões
Guido Mantega (à esquerda) reuniou-se com Luiz Moan, da GM (foto: Agência Brasil)

Trabalho | 31/07/2012 | 16h46

GM: Mantega lava as mãos sobre demissões

Ministro tratou fábrica de São José dos Campos como ‘‘problema localizado’’

REDAÇÃO AB

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, lavou as mãos em relação aos problemas que ocorrem na General Motors de São José dos Campos (SP). Em reportagem da agência Reuters, Mantega demonstrou desconhecer estudo do Dieese divulgado na segunda-feira, 30, que aponta fechamento de 240 vagas pela montadora em 2012 e um total de 1.189 demissões em um ano (leia aqui).

“Há problemas localizados em São José dos Campos. Não cabe ao governo entrar nos detalhes, é (um assunto) da organização interna da empresa”, afirmou o ministro. “O que nos interessa é que a GM tenha saldo positivo e esteja contratando, e isso está sendo cumprido.”

Mantega ancorou-se nos números apresentados pelo diretor de relações institucionais da GM, Luiz Moan (também vice-poresidente da Anfavea), com quem se encontrou na manhã desta terça-feira, 31, para pedir esclarecimentos sobre as ameaças de demissões na unidade da montadora. Segundo o ministro, a GM comprovou geração de emprego desde que a redução do IPI foi adotada, no fim de maio.

GM QUER “NEGOCIAÇÃO CAUTELOSA” COM SINDICATO

Luiz Moan informou que a geração de empregos nas fábricas da General Motors passou de 1.848 vagas no início de 2008 para 2.063 vagas em 2012. Reconheceu, no entanto, que deve haver desligamentos em uma das unidades da empresa. "Temos excedente em uma das fábricas, de São José dos Campos", admitiu o executivo, referindo-se ao MVA, sigla para Montagem de Veículos Automotores. Nas últimas semanas, o setor deixou de produzir Corsa, Meriva e Zafira. Monta agora somente o Classic, que no Brasil também é feito em São Caetano do Sul (SP).

O diretor da GM disse que o compromisso assumido pela companhia é o de realizar uma negociação "cautelosa e amiúde" com os sindicatos. "Teremos a próxima reunião no dia 4, sábado. A GM espera receber do sindicato ideias sobre excedente de pessoal", comentou. Ele não quis informar, no entanto, qual o excedente. A GM emprega 23 mil trabalhadores em suas unidades brasileiras.

Presidente interino da Anfavea, Luiz Moan afirmou que o compromisso do setor automotivo com o governo de manutenção dos empregos está “plenamente mantido”. Segundo ele, este mês será o melhor julho da história do setor automobilístico no Brasil. "A indústria afirma todos os compromissos com o governo, inclusive o de manutenção de empregos", disse Moan, ao lado de Guido Mantega.



Tags: Ministro, Guido Mantega, General Motors, São José dos Campos, Luiz Moan, Dieese, MVA, Classic, Corsa, Meriva, Zafira.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência