Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 07/08/2012 | 01h45

Citroën: Carlos Gomes comemora novo C3

Lançamento parte de R$ 39.990; R$ 400 milhões foram investidos no modelo

Mário Curcio, AB | De Brasília, DF

Texto atualizado às 11h40.

Na noite que antecedeu a apresentação do novo Citroën C3, o presidente da PSA Peugeot Citroën para a América Latina, Carlos Gomes, revelou alguns números do projeto: “Foram investidos R$ 400 milhões no carro e no novo motor 1.5 (que rende até 93 cv quando abastecido com etanol). Desde 2009, 450 pessoas vêm trabalhando no modelo.” Eram cerca de 22 horas do dia 6 quando o executivo recordou: “Exatamente agora, uma parte dessas pessoas está trabalhado na montagem do carro.”

A fábrica de Porto Real (RJ) opera em três turnos, o que irá ajudar a abastecer as revendas com o carrinho, que estará à venda ainda em agosto. “O novo C3 utiliza uma versão evoluída da plataforma sobre a qual são montados Citroën Aircross e C3 Picasso, mas com menor distância entre eixos”, afirma o chefe de produto, Samuel Dumas. Em vez de 2,54 metros, são 2,46 metros de entre-eixos.

A Citroën revelou os preços do novo hatch, oferecido em quatro opções: Origine 1.5 (R$ 39.990), Tendance 1.5 (R$ 43.990), Exclusive 1.6 (R$ 49.990) e Exclusive 1.6 automática (R$ 53.990). Essa segunda motorização tem quatro válvulas por cilindro e produz até 122 cv com etanol. O novo C3 emprega 33 quilos de material “verde”, ou seja, produzido a partir de plásticos, fibras de tecido e de madeira reciclados.

Novo
C3 tem agora plataforma semelhante à utilizada nos Citroën Aircross e C3 Picasso. Dois motores equipam o carro. O da direita é o novo 1.5, que rende até 93 cv quando abastecido com etanol (fotos: Mário Curcio).



Tags: Citroën, C3, Carlos Gomes, Samuel Dumas, Tendence, Origine, Exclusive, etanol.

Comentários

  • Lucia

    Comprei um novo C3 em setembro e após ter usado o mesmo por 15 dias, um reboco caiu do estacionamento onde o mesmo se encontrava e ele sofreu a queda do vidro lateral. Deixei o carro no dia 13 de novembro de 2012 na concessionária Citroen da Barra da Tijuca no Rio de Janeiro com o pedido de orçamento que me prometeram em 5 dias úteis. Hoje, dia 23 de janeiro de 2013, o Novo C3 continua parado na concessionária. Apesar da autorização do seguro ter saído há mais de um mês. Os funcionários alegam não ter o código do vidro e que,portanto não tem solução para o carro que foi usado por 15 dias e que quando comprado, foi me garantido que eu jamais teria problemas com peças uma vez que a fábrica se encontra em Porto Real no Rio de Janeiro. Ao tentar contactar gerente e diretor, soube,os que não estavam disponíveis e que não poderiam fazer exatamente nada. A Citroen no Brasil não tem crédito algum. Lucia

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência