Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 12/08/2012 | 20h00

Sistemistas da Toyota investem R$ 356 milhões

Doze fornecedores empregam quase 1,6 mil ao lado da montadora em Sorocaba

PEDRO KUTNEY, AB

Ao mesmo tempo em que construiu sua nova unidade industrial em Sorocaba (SP), inaugurada na quinta-feira, 9 (leia aqui), a Toyota incentivou a instalação de 12 fornecedores estratégicos de conjuntos e sistemas automotivos bem ao lado da fábrica, no km 92 da Rodovia Castelo Branco. Juntas, essas empresas investiram pouco mais de R$ 356 milhões para formar um complexo em área quase tão grande quanto a da montadora. Todos os sistemistas já estão operando e, até o momento, contrataram perto de 1,6 mil empregados, praticamente o mesmo número de contratados diretos da Toyota.

Dos 12 fornecedores já instalados no Complexo Industrial Norte de Sorocaba, sete são empresas multinacionais controladas por corporações japonesas, sendo que quatro delas têm participação acionária direta do Grupo Toyota (Boshoku, TT Steel, Tsucho Scrap e TKL).

O maior investimento entre os 12 sistemistas foi feito pela japonesa Kanjico, que aportou R$ 160 milhões para produzir e pintar os para-choques dos veículos produzidos pela Toyota em Sorocaba. A empresa também é a maior empregadora direta do complexo de fornecedores, com 360 funcionários. Além dos para-choques, a Kanjico fornece à Toyota conjuntos metálicos soldados que produz em Salto, próximo de Sorocaba.

A maior parte dos fornecedores do complexo Toyota fez investimentos menores, construiu instalações para fazer a montagem final de conjuntos com componentes produzidos em outras localidades, como é o caso da Pirelli, que lá executa só a montagem de seus pneus nas rodas, ou da Pilkington (de origem inglesa, mas desde 2006 controlada pelo grupo japonês NSG), que mantém no local estoque de vidros para abastecer a linha de produção do compacto Etios.

Outro exemplo desse tipo de operação é a Faurecia, que em Sorocaba faz apenas ajustes finais dos escapamentos que produz em sua recém-inaugurada fábrica de Limeira (leia aqui), também no interior paulista.

CINTURÃO JUST IN TIME

Com os principais fornecedores bem ao lado a Toyota vai trabalhar em sistema just in time, com a utilização das peças assim que elas chegam à linha de montagem, sem formação de estoques. Essa operação é coordenada por uma subsidiária da empresa, a Toyota Kimura Logistics, ou TKL, que investiu R$ 8,9 milhões para construir uma unidade e contratou 250 pessoas para executar a logística da fábrica. A TKL é a segunda maior contratante do complexo, dividindo o posto com outra do mesmo grupo, a Toyota Boshoku, que também tem 250 empregados dedicados à montagem de bancos, painéis de porta e partes estofadas, em planta que recebeu aporte de R$ 51,7 milhões.

Até a coleta e encaminhamento para reciclagem de resíduos industriais serão feitos por um fornecedor específico controlado pelo grupo, a Tsucho Scrap, uma das divisões da Toyota Tsucho, que aplicou R$ 16 milhões em instalações no complexo e contratou 50 funcionários para executar o serviço. Outra divisão do mesmo grupo, a Toyota Tsucho Steel, ou TT Steel, investiu R$ 44 milhões em uma unidade de corte de chapas de aço que já emprega 51 pessoas.

Nenhum dos sistemistas é exclusivo, poderá fornecer a qualquer outro fabricante, mas pelo formato da operação poucos conseguirão fazer isso, pois a produção da Toyota (começa com 70 mil unidades no primeiro ano) deverá consumir todas as peças.

Veja abaixo a descrição dos 12 fornecedores instalados no complexo industrial da Toyota em Sorocaba:

Sistemistas



Tags: Toyota, investimento, Sorocaba, sistemistas, fornecedores.

Comentários

  • agnaldo

    Parabens para a Toyota e para sorocaba.

  • tatiane lima

    Trabalho na Formtap Sorocaba há um ano e estou muito otimista em relação as vendas do Toyota Etios e que com isso novos projetos possam vir para Sorocaba.

  • Jorge Murazawa

    Eu sou fa da Toyota ; a toyota tem varios modelos de carro no japao , porem a toyota do Brasil escolheram modelos que nao agradam os brasileiros , no caso da Etios nao entrou no gosto do publicos, jovens brasileiros . Sei muito que o carro e otimo mas pelo desaner do carro Etios esta perdendo longe do carro da Hyundai HB20. Gostaria de saber porque isso.

  • Edvan

    Realmente a Toyota se mostrou despreparada para enfrentar este nicho de mercado. Deu na trave e amargou um lançamento decepcionante (muitos foram para a rua). Mais o que era uma tragedia virou um vitoria. Com suas armas poderosas de marketing e descontos mostrou para o povo Brasileiro que o patinho feio e um excelente carro! Feio por fora, Feio por dentro, Mau resolvido nos seus instrumentos! Mais excelente no conjunto motor, cambio e suspensão e o custo beneficio imbatível!! E tanto que já esta utilizando a capacidade máxima da planta de Sorocaba. Resta saber quando ira satisfazer o restante do publico que compra um carro pela aparência e não pela eficiência do veiculo. Sou proprietário de um sedã e estou muito satisfeito.. mais bem que poderia ser mais bonitinho!!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência