Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Renault deixa de produzir Grand Tour

Leves | 27/08/2012 | 18h15

Renault deixa de produzir Grand Tour

Modelo sai de linha para ajuste de produção, mas será vendido até o fim do ano

CAMILA FRANCO, AB | De São José dos Pinhais (PR)

Durante a apresentação da linha 2013 dos modelos Sandero e Logan (leia aqui), a Renault do Brasil confirmou o fim da produção da perua Mégane Grand Tour no País. Desde julho, segundo Olivier Murget, que preside a operação nacional, nenhuma unidade foi montada no complexo industrial Ayrton Senna, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR).

O curioso é que o modelo, apresentado em 2006 e vendido a partir de 2007, teve sua fabricação encerrada justamente em sua melhor fase no mercado brasileiro, na liderança do segmento de peruas grandes, atualmente disputado apenas com a Volkswagen Jetta Variant, importada do México.

De acordo com dados da Fenabrave, 2,8 mil unidades do Mégane Grand Tour foram vendidas em 2010. No ano passado, este número subiu para 9,8 mil, e de janeiro a julho deste ano as vendas já totalizaram 7,3 mil unidades.

Murget explicou que a decisão foi tomada por questão industrial: “O principal motivo é o ajuste de produção na fábrica, que passa por um processo de aceleração, de 47 para 60 veículos fabricados por hora. Não tínhamos alternativa, a não ser abrir caminhos para a produção dos outros modelos.”

Para atender aos fãs do modelo, Murget diz que foi montado um estoque para vendas da perua que deve durar até o fim de 2012. “Hoje não há nenhum modelo Renault para colocarmos no lugar da Grand Tour, mas quem sabe no futuro?”, disse. Desde 2007 foram vendidas 32,4 mil Mégane Grand Tour no Brasil.



Tags: Renault, Mégane Grand Tour, Olivier Murget, produção.

Comentários

  • Haroldo

    Provavelmente a Renault deve ganhar pouco dinheiro nesse veículo que ao meu ver o melhor custo benefício do mercado. Um carro completo de ótima qualidade. Acredito que a Duster, com um nível de acabamento inferior a 50% mais caro seja muito melhor aos cofres da marca. Uma pena.

  • vilela

    Temos que ver a satifação dos clientes e não a vontade dos empresários. É por isso que os orientais descobriram a excelência na prestação de serviços e estão a cada dia tomando cada vez mais a fatia do mercado mundial.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência