Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 25/09/2012 | 17h15

IHS projeta queda de 8,8% nas vendas europeias

Salão de Paris é palco para montadoras da região mostrarem novos rumos

PAULO RICARDO BRAGA | De Paris (França)

O momento é de perdas entre diversas montadoras presentes ao Mondial de L’Automobile, o Salão do Automóvel de Paris, especialmente as europeias. O evento estará aberto ao público de 29 de setembro a 14 de outubro na Porte de Versailles (leia aqui). Embora os organizadores esperem receber um milhão de visitantes para a mostra que ocorre a cada dois anos (nos anos ímpares as atenções voltam-se para o Salão de Frankfurt), a situação econômica na Europa não permite exagerar no otimismo.

As estatísticas de mercado mais recentes publicadas pela European Automobile Manufacturers Association (ACEA) mostram que durante os primeiros oito meses de 2012 a demanda por veículos leves na UE diminuiu de 7,1% em relação à mesma época do ano passado, depois de perdas significativas nos quatro a cinco anos anteriores.

Algumas das companhias mais afetadas foram PSA Peugeot Citroën, Renault, General Motors (Opel), Ford e Fiat, que registraram declínios acima de dois dígitos percentuais. O grupo Volkswagen tem tido desempenho mais animador, atingindo níveis equivalentes aos observados no ano passado, beneficiado pelo resultado de suas marcas premium, como a Audi, reiterando porque marcas como a Renault e PSA estão procurando avançar na mesma direção, buscando melhores margens.

É improvável que a situação melhore para grande parte do continente europeu, pelo menos no curto prazo. Os asiáticos buscam fazer progresso com modelos-chaves para a região, como indicam Toyota (Auris), Honda (novo CR-V), Mitsubishi e Mazda, e em especial a Hyundai e Kia, que provocam apreensão entre as marcas europeias ao obterem bons resultados e ganhos de dois dígitos em mercado marcado que está em queda contínua.

Como resultado da retração, a competição promete tornar-se mais forte. A IHS Automotive projeta 12,5 milhões de unidades comercializadas este ano, uma queda de 8,8% em relação a 2011. Segundo a consultoria, pelo andar da carruagem o nível de vendas pré-crise, no patamar de 14 milhões a 15 milhões de unidades por ano não ocorrerá em menos de quatro a cinco anos.

Dados recentes da consultoria Jato Dynamics retratam que a França é um dos países mais afetados globalmente pela crise econômica, com uma queda de 12,4% nas vendas de carros e comerciais leves acumuladas de janeiro a julho, passando de 1,64 milhão em 2011 para 1,44 milhão este ano. Em julho foram comercializados 179.436 veículos leves, contra 190.222 no mesmo mês de 2011 (queda de 5,7%). Na Itália a queda acumulada foi de 13,8%, para 1,09 milhão de unidades; as vendas em julho recuaram 22,6%, em relação ao mesmo mês do ano passado, para 117,1 mil unidades.

Na Alemanha a situação é melhor: as vendas acumuladas somaram 2,00 milhões, repetindo 2011; em julho houve queda de 4,7%, para 266.612 unidades. Para comparação, o Brasil registrou 3% de avanço nas vendas acumuladas (1,98 milhão) e de 22% em julho, para 351.397 unidades.



Tags: Mondial de L’Automobile, Salão de Paris, ACEA, PSA, Renault, Opel, Ford, Fiat.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência