Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 04/10/2012 | 23h40

Zetsche: voltar a fazer carros no Brasil está distante

Para executivo, parceria da Daimler com Renault Nissan pode facilitar investimentos

PEDRO KUTNEY, AB

Em rápida visita ao Brasil, o presidente mundial da Daimler, Dieter Zetsche, voltou a repetir que gostaria de ver a empresa voltar a produzir carros Mercedes-Benz no Brasil (como aconteceu de 1999 a 2009 na fábrica de Juiz de Fora, com o Classe A, C e CLS). Contudo, ele deixou claro que isso é apenas um desejo e que não há, até o momento, nenhum estudo formal em andamento para analisar a viabilidade do negócio. “Não há nada concreto, ainda não é o momento”, disse Zetsche na noite de quarta-feira, 3, logo após a apresentação à imprensa brasileira do novo Classe B, o primeiro de três veículos construídos sobre a nova plataforma global de modelos compactos da Mercedes-Benz, que começa a ser vendido no País agora – e que bem poderia ser a base para um veículo a ser feito aqui.

Sobre de que forma a parceria da Daimler com a Aliança Renault Nissan poderia chegar ao Brasil, Zetsche avalia que essa é uma possibilidade promissora, pois “dilui investimentos e riscos”. As duas empresas têm acordo de desenvolvimento e produção de motores, transmissões e veículos inteiros, que eventualmente poderá ser replicada em unidades instaladas aqui também. “Com a Nissan nossas chances de ter outra fábrica aumentam, mas é só uma possibilidade, ainda não há nada definido”, lembrou.

O Classe B que Zetsche veio apresentar aos brasileiros, segundo ele, “tem todos os atributos que os brasileiros apreciam, é o carro certo para um mercado moderno”. O carro será vendido no mercado brasileiro em duas versões: B200 Turbo (por R$ 115,9 mil) e B200 Turbo Sport (R$ 129,9 mil). O executivo destacou, entre as qualidades do novo Classe B, o design mais jovem do que o antecessor, amplo espaço interno e motorização potente e econômica: o motor 1.6 turbo tem 156 cavalos e trabalha com transmissão automatizada de dupla embreagem. “É só o primeiro de uma família de compactos (os outros dois são o novo Classe A e o sedã CLA), que está inserida em nosso plano de crescimento internacional até 2020, que prevê o lançamento de 10 novos modelos nos próximos quatro anos”, disse Zetsche.

Durante a apresentação do Classe B na sede da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP), ficou nítida a sensação de que, no fim de cada frase, só faltou a expressão “que futuramente será fabricado no Brasil também”. Algo que não foi dito e na avaliação de Zetsche, um dia, poderá.



Tags: Daimler, Mercedes-Benz, Renault Nissan, Dieter Zetsche.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência