Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 19/10/2012 | 17h56

Lanxess aposta fichas em tecnologias verdes

Empresa do setor químico sustenta novos projetos no Brasil a partir do regime automotivo

SUELI REIS, AB

Com a regulamentação do regime automotivo, a indústria nacional inicia a corrida para avaliar seus produtos atuais e repensar os novos projetos para atender as regras da legislação, em vigor a partir de 1º de janeiro de 2013 (leia aqui). Prevendo este cenário não só no Brasil, mas em âmbito global, a Lanxess, multinacional do setor químico, promoveu uma série de encontros batizados de Rubber Day, ao redor do mundo na tentativa de apontar os caminhos que a indústria poderá percorrer para atender as exigentes normas de consumo e emissões, presentes nos principais mercados. Na quinta-feira, 18, foi a vez do Brasil receber o evento, realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, na capital fluminense.

Para o CEO da Lanxess, Axel Heitmann, que veio ao País exclusivamente para o evento, esta é a oportunidade da empresa para debater as próximas práticas de sustentabilidade a partir da realidade de cada mercado. “O mundo está numa pressão tremenda para alcançar um melhor nível de consumo e isso só é possível com novas tecnologias”, disse o executivo.

Durante o evento, o foco da Lanxess foi a promoção de seus novos compostos químicos para a produção de borracha de alta performance, que pode ser usada para a produção de pneu, responsável por até 30% do consumo de combustível em um automóvel. Segundo a empresa, o composto pode reduzir a resistência de rolamento e o consumo em mais de 25%. A tecnologia deu origem ao “pneu verde”, apresentado como uma das soluções para a indústria global automotiva.

Segundo dados apresentados pela companhia, os pneus verdes podem economizar cerca de 1 litro de combustível a cada 100 km rodados ao longo de sua vida útil. Um cálculo da empresa mostra que se todos os pneus no mundo fossem produzidos com borracha de alta performance, resultaria em uma economia anual de 20 bilhões de litros de combustíveis e redução de aproximadamente 50 milhões de toneladas de emissão de CO2.

O segmento de pneus de alta performance deve crescer 77% no mundo até 2015, estima a Lanxess. Para Humberto Lovisi, diretor de marketing da unidade de negócios performance butadiene na América Latina, os pneus verdes vão ajudar a propiciar a redução de consumo, como pede o novo regime, mas ele não estima um prazo para a chegada da tecnologia no mercado. Segundo o executivo, o primeiro passo para o pneu verde no Brasil é criação da consciência no consumidor final. “Estamos na fase de educar e criar uma cultura de que o pneu verde é mais eficiente e seguro”, disse.

Sobre o maior preço de produtos com alta tecnologia, como o pneu verde, o CEO da Lanxess argumenta que a compensação são os benefícios a longo prazo. “Temos sim o aumento natural do custo, que se paga por ter um desempenho superior aos pneus comuns e esse custo pode ser recuperado em até 2 anos, com a economia do consumo”, argumenta.

MAIS OPORTUNIDADES

Enquanto o pneu verde não chega ao Brasil, a Lanxess reforça por aqui outras áreas de atuação, visando oportunidades no mercado de plásticos, que ajudam a reduzir o peso dos veículos e, consequentemente, o consumo. A empresa prevê o início em 2013 das atividades da nova fábrica de Porto Feliz (SP), que recebeu investimento de R$ 50 milhões, para a produção de insumos para plásticos mais leves.

Também em 2013, começa a produção do EPDM verde, borracha sintética que será produzida a partir de eteno à base de cana-de-açúcar, composto que será fornecido pela Braskem. A borracha será produzida na unidade de Triunfo (RS), que recebeu aporte de R$ 5 milhões para atualizações.

“O Brasil representa uma das grandes potências automotivas do mundo, por isso, queremos fabricar novos materiais aqui e continuar investindo em novas tecnologias”, complementa Heitmann.



Tags: Lanxess, regime automotivo, pneu, pneu verde, borracha, alta performance.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência