Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Eventos | 22/10/2012 | 10h28

Renault apresenta novo Clio e elétricos no Salão

Empresa para 2 meses para elevar produção

PAULO RICARDO BRAGA, AB

Sem a presença do CEO Carlos Ghosn, coube ao presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, comandar a apresentação dos planos da Renault e seus lançamentos durante o Salão do Automóvel de São Paulo, que compreendem o Clio reestilizado, Fluence Turbo e o sistema Media Nav, expostos ao lado do Duster DCross, do SUV Captur e dos elétricos Fluence e Twizzy. O executivo fez um retrospecto da trajetória atual da empresa no País, considerada muito boa pela matriz, com um avanço expressivo nos emplacamentos, que alcançaram 189.373 unidades até a metade de outubro. Com esse resultado, a marca francesa ficou com o quinto lugar no ranking de vendas de automóveis e comerciais leves, atrás da Ford (252.747).

Confirmada por Murguet, a paralisação da produção na fábrica de São José dos Pinhais (PR), de 7 de dezembro a 7 de fevereiro, para elevar a capacidade de produção de 220 mil para 320 mil carros (a unidade de comerciais leves continua em operação e pode montar até 60 mil veículos/ano), atrapalhará os planos da Renault se aproximar da Ford no ranking de vendas e poderá ocorrer até falta de estoques nas concessionárias. A empresa investe R$ 1,5 bilhão na unidade paranaense, em instalações, tecnologias e novos produtos, entre 2010 e 2015.

Para preservar as conquistas no mercado brasileiro, onde o Sandero somou 62.053 unidades comercializadas no varejo e 15.788 nas vendas diretas (total de 77.841 unidades) até meados de outubro, a Renault prepara uma nova versão do hatch e também do sedan Logan, ambos apresentados em nova geração no Salão de Paris. No Brasil o Sandero deverá ganhar alguns requintes em relação ao produzido pela romena Dacia, que pertence à Renault, mas Murguet ainda não revela o caminho a ser seguido.

Já o Duster, que vinha em forte ascensão, perdeu fôlego depois de somar 32.721 unidades emplacadas até meados de outubro, enquanto o EcoSport registrou apenas 24.808. Na primeira quinzena do mês, o EcoSport reagiu, embalado pelas ações de lançamento do novo modelo, e emplacou 3.367 unidades; o Duster vendeu 1.905 unidades.

O Clio recebeu algumas melhorias e reestilização, visível na traseira e na frente, para mudar o panorama das vendas, que ficaram em apenas 14.160 unidades até a metade de outubro. A diferença entre o novo Clio produzido na Argentina e a nova versão exposta no Salão de Paris continua grande e a Renault não deve avançar rápido para diminuir essa diferença.

Em entrevista a Automotive Business, em Paris, Jérôme Stoll, que já foi presidente da Renault do Brasil e agora é vice-presidente global de vendas e marketing, admite que a plataforma do novo Clio francês seria muito cara para o Brasil e a única possibilidade de renovar o Clio argentino seria construí-lo sobre a plataforma do Sandero. “Somando a racionalidade da Dacia com o design francês”, disse.

ESTANDE NO SALÃO

A Renault reúne tecnologia, interatividade, inovação e modernidade em seu estande de 2 mil m2 no Salão do Automóvel. As atrações da marca começaram antes mesmo do início da maior feira automobilística da América Latina. Pelas redes sociais, os visitantes podem se cadastrar previamente, na página oficial da Renault no Facebook (www.facebook.com/RenaultBrasil) ou no próprio estande por meio de tablets que estarão à disposição do público.

Cadastrado, o participante receberá uma pulseira integrada através da tecnologia de rádio frequência. Ao lado dos carros expostos carros, um iPad com leitores confirmará a presença do visitante e o sistema mandará uma mensagem de “curtir” no perfil da pessoa no Facebook, que ainda pode compartilhar imagens dos modelos com sua rede de relacionamentos e receber estas informações via e-mail, também em tempo real.

Até 29 de outubro, a Renault vai promover o concurso cultural Minotauro e apresentar o Desafio Renault, que já está no ar. Os autores das dez melhores respostas para a pergunta “O que você faria para levarmos você ao 27º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo?” ganharão prêmios, que incluem luvas, camisetas, pôsteres autografados pelo lutador Rodrigo Minotauro. Ele e outros lutadores também estarão presentes no estande da Renault em dias alternados.

ELÉTRICOS

A Renault apresenta pela primeira vez no Brasil os elétricos Fluence e Twizzy (city car) no estande, juntamente com esquemas para recarga das baterias. Em parceria com a Better Place, a empresa desenvolveu o sistema quick drop, que permite substituir a bateria exaurida por outra com plena carga. Há também modelos da Schneider Electric para recarga doméstica (wall box, de 220 V, demora de 6 a 9 horas) ou em áreas públicas (220 V, 6 a 8 horas). Entre os terminais públicos é possível encontrar unidades de 400 V que permitem fazer recarga de 80% em apenas 30 minutos.

“Os elétricos já são uma realidade”, disse Murguet durante a apresentação. No entanto, os veículos do gênero ainda estão distantes do mercado brasileiro. O Twizzy, por exemplo, custa 7 mil euros na Europa, com incentivo de 5 mil euros. Com os impostos de importação e os demais encargos, custaria cerca de 50 mil euros no País. Por isso, a Renault decidiu, por enquanto, trazer apenas meia dúzia para testes.

Assista abaixo a entrevista exclusiva a ABTV de Olivier Murguet, presidente da Renault Brasil:



Tags: Renault, Clio, Sandero, Logan, Fluence, Duster, Twizzy, elétricos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência