Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Legislação | 07/02/2013 | 19h30

Inovar-Auto completa um mês com 33 empresas habilitadas

Com o novo regime, investimentos de R$ 4,2 bilhões foram oficializados

REDAÇÃO AB

O Inovar-Auto, Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores, lançado em 4 de outubro de 2012 e em vigor desde 1º de janeiro de 2013, encerrou o seu primeiro mês com 33 empresas habilitadas como produtoras, importadoras e investidoras. Os novos investimentos previstos por elas chegam a R$ 4,2 bilhões, de acordo com nota publicada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) na quinta-feira, 7.

Até agora, 47 empresas pediram para participar do programa. Chery, JAC Motors e Nissan apresentaram projetos para construção de fábricas ao MDIC, enquanto a Mitsubishi anunciou investimentos para o início da produção, no País, dos modelos Lancer e ASX.

“Os números revelam o acerto do novo regime automotivo, que está gerando mais investimentos no Brasil para permitir a produção de carros mais seguros e que consomem menos combustível”, declarou o ministro Fernando Pimentel.

O governo espera que até 31 de dezembro de 2017, quando encerra a vigência do novo regime automotivo, sejam investidos R$ 5,5 bilhões, com aumento da produção dos atuais 3,3 milhões de automóveis (registrados em 2012) para mais de 4 milhões, conforme anunciou a secretária do MDIC, Heloisa Menezes.

PRODUTORAS

Foram habilitadas como produtoras 20 empresas instaladas no Brasil: Agrale, Caoa, Fiat, Ford, General Motors, Honda, Hyundai, International, Iveco, MAN, Mercedes-Benz, Mitsubishi, PSA Peugeot Citroën, Renault, Scania, Suzuki, Toyota, Volkswagen e Volvo. A Nissan tem duas habilitações, como produtora e investidora.

IMPORTADORAS

Como importadoras, já estão confirmadas: Districar (vende veículos das marcas Changan, Ssangyong e Haima), Venko (Rely, marca de comerciais leves da Chery), Chrysler, Jaguar e Land Rover, Volvo Cars, SNS Automóveis (JAC e Aston Martin), Stuttgart Sportcar (Porsche) e British Cars (Bentley e Bugatti).

INVESTIDORAS

Podem ser habilitadas como investidoras, como fez a Nissan, as empresas que tenham projetos para instalação de fábrica no Brasil. No caso das que já produzem no País, é preciso apresentar ao MDIC projetos de novas plantas. Deverá ser efetuada habilitação específica para cada fábrica ou projeto industrial. Após o período de habilitação como investidor e com a fábrica construída, a empresa poderá ser habilitada como produtora.

HABILITAÇÃO

Para participar do Inovar-Auto, as empresas assumem os compromissos de atingir níveis mínimos de eficiência energética (melhoria de 12% até 2017); aderir ao Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV); além de investir em pesquisa, desenvolvimento, inovação, engenharia, tecnologia industrial e capacitação de fornecedores.

As já habilitadas – com exceção da Scania que não importa nenhum veículo para o Brasil – têm acesso a uma cota anual de importação de veículos com isenção da sobretaxação de 30 pontos percentuais no IPI. No caso das produtoras e investidoras, esse valor é equivalente a até 25% do seu futuro potencial produtivo, com a possibilidade de importar outros 25% pagando o IPI majorado, que é devolvido como crédito tributário depois que a fábrica ou nova linha de montagem entra em operação. Já as importadoras, que não têm planos de fábrica no Brasil, a cota máxima anual é de até 4,8 mil veículos, conforme prevê o novo regime.

Cada habilitação tem validade de dois trimestres. Uma vez encerrada, as empresas terão de encaminhar um novo requerimento para renovar sua participação no programa por mais um ano, o que acontece sempre no mês de março.



Tags: Inovar-Auto, regime automotivo, veículos, inovação, investimentos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência