Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 25/03/2013 | 17h58

Setor automotivo puxa investimento de alemãs no Brasil

Novo presidente da Câmara Brasil-Alemanha, Thomas Schmall, aposta em crescimento do País para atrair novos membros à entidade

SUELI REIS, AB

O setor automotivo deverá impulsionar os principais investimentos de empresas alemãs no Brasil nos próximos anos, afirmou na segunda-feira, 25, o novo presidente eleito da Câmara Brasil-Alemanha (AHK, na sigla em alemão) para São Paulo no período 2013-2014, Thomas Schmall, também presidente da Volkswagen do Brasil. Durante a cerimônia de posse, o executivo disse que em sua gestão a entidade focará em inovação e competitividade, além de reforçar a presença de pequenas e médias empresas como membros.

“Ainda há muito a fazer nos aspectos inovação e competitividade aqui no Brasil. Queremos tornar o País um grande exportador de tecnologias e de produtos industrializados e o setor automotivo, que é um dos mais fortes presentes na Câmara Brasil-Alemanha, vai impulsionar estes investimentos, a partir do Inovar-Auto.”

Ele explicou que a estreita relação entre os dois países, que se estende há 96 anos por meio das ações promovidas pela Câmara, auxiliará a indústria brasileira a alcançar um novo patamar no desenvolvimento de novas tecnologias. “A Alemanha é conhecida como um dos maiores países no desenvolvimento tecnológico, tenho certeza que as empresas estão abertas e dispostas a contribuir com o Brasil.”

Segundo os dados da entidade, o setor automotivo dominará os investimentos das associadas alemãs que preveem um aporte de total de € 5,38 bilhões no País até 2016. Deste total, € 3,4 bilhões serão desembolsados pela própria Volkswagen. Ao lado da montadora, figuram € 400 milhões da MAN, divisão de caminhões do Grupo Volkswagen, € 300 milhões da BMW, para a construção de sua fábrica em Araquari (SC), e € 300 milhões da ZF, cujo atual ciclo de investimento encerra este ano.

Empresas que fornecem para o setor automobilístico, como a Lanxess, fabricante de borracha sintética, planeja aporte de € 80 milhões para aumento da capacidade de seu polo industrial em Triunfo (RS) (leia aqui). A Basf também figura como uma das maiores investidoras alemãs no Brasil: anunciou o maior investimento de sua história na América do Sul, de € 400 milhões, para o novo polo industrial acrílico em Camaçari (BA). A lista fecha com a Siemens, que aplicará € 400 milhões por aqui até 2016.

Schmall complementou dizendo que os encontros promovidos pela Câmara Brasil-Alemanha ajudarão a eliminar as restrições para a entrada de empresas de pequeno e médio porte no País. “Vamos tentar acelerar esse processo”, disse.

CONJUNTURA

Embora o Brasil tenha apresentado baixo nível de crescimento do PIB no ano passado, com alta de apenas 0,9% sobre 2011, o resultado não tirou a atratividade do País, afirmou o ex-presidente da Câmara Brasil-Alemanha, Weber Porto, que passou o bastão para Schmall.

“Não foi um resultado extraordinário, mas em comparação com o mundo inteiro, não foi muito ruim. Na Europa está muito complicado investir e no caso da China, as empresas sabem que não podem apostar em um só lugar. O importante é o PIB dar sinais de crescimento para trazer segurança e atrair novos investidores”, disse Porto.

O ex-presidente da Câmara Brasil-Alemanha também enfatizou a importância das médias e pequenas empresas na estratégia da entidade para atrair novos membros. “No médio e longo prazo, essas empresas veem grande possibilidade de vir, investir e agregar com parcerias e novas associações. Nos últimos anos, 300 novas empresas alemãs se instalaram no Brasil: isso é um bom sinal, sinal de confiança.”

ANO DA ALEMANHA NO BRASIL

O período em que Schmall permanece na presidência da AHK de São Paulo coincide com o Ano da Alemanha no Brasil, que será comemorado entre maio de 2013 e maio de 2014. O ano de comemorações será aberto com o 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, que reunirá governantes e os principais empresários dos dois países, em São Paulo, para debater o futuro e as sinergias das duas economias em questões relativas à mobilidade, urbanismo, sustentabilidade, energia, eficiência energética entre outros. A presidente Dilma Rousseff, assim como o presidente da Alemanha, Joachim Gauck, já confirmaram presença na abertura oficial do evento.

Thomas Schmall foi eleito junto com o novo corpo diretor, composto pelos vice-presidentes Wolfram Anders (Robert Bosch), Marcelo Lacerda (Lanxess), Gabriel Leupold (Deutsche Lufthansa), Reinhard Riegel (Commerzbank São Paulo) e Paulo Ricardo Stark (Siemens). De acordo com os estatutos da instituição, todos exercerão seus cargos durante dois anos (2013-2014). Thomas Timm, representando a Confederação Alemã das Câmaras de Comércio e Indústria, continuará como vice-presidente executivo.



Tags: Thomas Schmall, Câmara Brasil-Alemanha, investimentos, setor automotivo, Volkswagen, Lanxess, Basf, MAN, Siemens, ZF, BMW.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência